O crime teria ocorrido entre sexta-feira (11) e sábado (12), período em que as vítimas ficaram desaparecidas.

Um homem cujas iniciais são I.P.S., 40, está sendo procurado pela Polícia, acusado de estupro de vulnerável supostamente praticado contra as meninas J.B.P.S., 13, e V.B.L., 12. O crime teria ocorrido entre sexta-feira (11) e sábado (12), período em que as vítimas ficaram desaparecidas.

Conforme o boletim de ocorrência, a viatura da Polícia Militar foi acionada para atender ao suposto sequestro das meninas. A mais nova delas retornou para casa cheia de escoriações no pescoço e nas pernas e contou aos policiais que estava na casa do suspeito, que lhe ofereceu dinheiro, doces e bebida alcoólica e também teria lhe mostrado vídeos pornográficos.

Diante do relato, os policiais foram até a casa do suposto estuprador, no bairro Residencial Coxipó, em Cuiabá (MT), para encontrar a outra vítima, que segundo a menina localizada, também estava na casa do homem. Chegando lá, os PM’s não encontraram a garota que, pouco tempo depois, foi entregue por populares na base do 9º Batalhão da PM. O suspeito também não foi encontrado em casa.

Em depoimento, a garota de 13 anos confirmou manter relações sexuais com o suspeito, há cerca de 4 meses, em troca de doces, dinheiro e cestas básicas. Relatou ainda que a mãe da colega de 12 anos sabia do caso.

Em revista na casa do suspeito, foram encontrados frascos de paçoquinha, bolacha e balas, uma garrafa de vodka aberta, preservativos, duas máquinas fotográficas com um carregador e uma munição de calibre .762 intacta. Por conta da munição, o homem também deve responder por posse ilegal de arma de fogo de uso restrito. Todo o material foi apreendido e deverá ser usado nas investigações.

As menores foram encaminhadas para a Central de Flagrantes, no bairro Verdão, acompanhadas de suas respectivas mães. O Conselho Tutelar também foi acionado para acompanhar a situação.

Por conta do depoimento da vítima de 13 anos, J.B.G., 39, mãe da vítima de 12 anos, também está sendo acusada de corrupção de menores e de submeter a adolescente à exploração sexual.