Metade dos casos de feminicídio é causada por homens que não aceitam a separação

A afirmação é da pesquisadora Lourdes Bandeira, da Universidade de Brasília.

Metade dos feminicídios ocorridos no Brasil é cometida por homens que não aceitam a separação. A afirmação é da pesquisadora Lourdes Bandeira, da Universidade de Brasília. A socióloga estuda dois mil casos registrados entre 2015 e 2018.

Segundo Lourdes Bandeira, o assassino sente que tem controle sobre o corpo da mulher, por considerar que ela é sua propriedade sexual. E não aceita que outro homem se aproprie dela.

A pesquisadora destaca que isso não significa que todo homem é um feminicida em potencial, mas aqueles que matam se sentem protegidos por uma ideia coletiva de domínio machista.

O estudo, que será divulgado em março do ano que vem, aponta outras causas para os crimes: ciúme, suspeita de adultério ou brigas quando a vítima quer romper o relacionamento, por causa da subordinação.

O resultado demonstra que todos os motivos alegados são associados à possessividade e com a negação da autonomia da mulher.


Aviso: Os comentários só podem ser feitos via Facebook e são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, sendo passível de retirada, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Tem uma sugestão de reportagem? Nos envie através do WhatsApp (19) 99861-7717.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT