Mobilização na web ajuda dona a encontrar cachorrinha que ficou perdida mais de 20 dias

Durante as buscas,Tatiana Avalone chegou a resgatar outros animais abandonados e adotou mais uma amiga de quatro patas, que recebeu o nome de ‘princesa’.

A procura de Tatiana Avalone, bancária e moradora de Bauru (SP), pela sua cachorrinha Chanel mobilizou as redes sociais durante este mês de março. A página no Facebook criada para fazer uma campanha e divulgar o desaparecimento da cachorrinha chegou a mais de 2,4 mil seguidores em poucos dias.

Chanel fugiu de casa no dia 6 de março e foi encontrada mais de 20 dias depois na rodovia que liga Bauru a Ipaussu. Tatiana conta que no dia em que desapareceu, a cachorrinha estava no quintal da casa, quando uma pessoa saiu e acabou não fechando a trava do portão.

Foi então que, ao ver o portão aberto, Chanel saiu para a calçada, mas o portão acabou batendo e fechou, deixando do lado de fora. Tatiana diz que pensou que Chanel estava no quarto da filha e não notou o que havia ocorrido.

A ausência de Chanel foi notada por Tatiana quando, ao acordar no domingo (7) pela manhã, ela foi ao quarto da filha e abriu a porta para a cachorrinha sair, como de costume, mas Chanel não estava lá. Então, consultou as câmeras, percebeu o que tinha acontecido e imediatamente ligou para as irmãs ajudarem na busca.

 

No dia seguinte, a família já providenciou panfletos e cartazes que espalharam em todos os postos e pontos de ônibus da região. Tatiana, seu marido, seus dois filhos e irmãs passaram a seguir todas as pistas de pessoas que ligavam dizendo que viram a Chanel em algum lugar.

 

Os dias foram passando e nada de encontrarem a Chanel. Então, a família resolveu contratar carros de som, drone, e inclusive pedir a entregadores que colocassem o panfleto em suas mochilas para que também conseguissem chamar a atenção das pessoas que podem não ter acesso às redes sociais.

A mobilização para encontrar Chanel foi tanta que Tatiana decidiu inicialmente oferecer a quantia de R$ 1 mil para quem informasse o paradeiro da cachorrinha, mas passados alguns dias de busca sem sucesso, ela aumentou a oferta para R$ 2 mil.

A incansável busca da bancária e sua família pela já muito conhecida Chanel gerou não só milhares de compartilhamentos das postagens feitas para encontrá-la, como também acabou mobilizando dezenas de pessoas que, por intermédio de uma mulher que luta pela causa animal, se disponibilizaram a procurar pela cachorrinha todos os dias. Muitos passaram a ir até a casa da família buscar panfletos para ajudar, segundo Tatiana.

As buscas organizadas pelo grupo do Whatsapp aconteciam em todos os períodos do dia e essas pessoas se dividiam em grupos para ir atrás de pistas da cachorrinha pela cidade. Apesar de não terem conseguido encontrar Chanel, a ação acabou resultando na adoção de mais um membro para a família e foi responsável por dar abrigo para outros três cães.

O cachorrinho, que espera por uma adoção, ficou muito debilitado depois do acidente e a família fez até uma rifa no Facebook para ajudar nos custos da sua recuperação, pois segundo a bancária, eles já gastaram mais de R$ 1,5 mil com sua cirurgia.

utores chegaram a oferecer R$ 2 mil para quem achasse a cachorrinha — Foto: Tatiana Avalone/ Arquivo pessoal

Reencontro

O emocionante encontro de Tatiana com Chanel aconteceu apenas nesta segunda-feira (29), após mais de 20 dias de uma união de esforços para trazer a cachorrinha de volta ao seu lar e a pista veio de uma ligação.

Com a notícia, Tatiana mudou os planos e conta que foi correndo encontrar a moça que disse que ficaria no local para ajudá-la a resgatar Chanel. O reencontro emocionante foi filmado pela própria mulher que localizou Chanel e foi postado nas redes sociais para dar a grande notícia para quem acompanhou a história desde o começo.

Ela não quis aceitar a recompensa. Chanel foi encontrada com apenas 3 kg e antes de desaparecer pesava 5 kg. A bancária conta que receber tanta ajuda de pessoas desconhecidas para encontrar Chanel foi transformador para ela enquanto ser humano. Afinal, mobilizar milhares de pessoas nas redes sociais e ainda conseguir ajuda de desconhecidos em uma busca de mais de 20 dias pelas ruas da cidade ensina uma lição de empatia e solidariedade.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT