Montadoras celebram exportações, mas vendas voltam a cair no mercado interno

Primeiro trimestre de 2022 foi fechado com 100 mil veículos a menos em relação ao mesmo período de 2021.

As montadoras fecharam o primeiro trimestre de 2022 com 100 mil veículos a menos em relação ao mesmo período de 2021. Foram produzidos 296 mil carros comerciais leves, caminhões e ônibus, uma queda de 17%. Em março, as fábricas finalizaram 185 mil unidades, um recuo de 8% em relação a março de 2021.

Nos três primeiros meses do ano, o desempenho das vendas foi ainda 406 mil unidades, uma queda de 23% em relação ao mesmo período de 2021. Mas o setor comemora o saldo positivo nas exportações, 108 mil unidades, um crescimento de 13%. Outro destaque é o segmento de caminhões: 13,5 mil pesados produzidos, uma alta de 8,5% sobre março de 2021, e, no acumulado do ano, uma expansão de 4%.

O setor ainda convive com a falta de peças e paralisações das linhas de montagem, problemas logísticos, mas o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA), Luiz Carlos Moraes, ressalta a crescente preocupação agora com os fatores econômicos brasileiros.

“Nós temos ainda processos de produção desorganizados, ainda não estão normais, nós temos anúncios como do IPI que pode ter promovido uma postergação para uma semana, duas semanas etc. É muito cedo ainda, 125 mil unidades é muito pouco ainda para se considerar que nós temos um problema de estoque. Temos preocupação sim, olhando mais para frente, para a taxa de juros, o nível de desemprego é muito alto ainda, a inflação está alta, a renda ainda não muito alta. Então, temos essa preocupação, mas a nossa previsão já considera de alguma forma esses elementos”, diz Moraes.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP