Morador de rua recebe nossa reportagem e conta sua história

Em 2016 “Barba” reencontrou seu irmão e chegou à voltar para sua família no Rio Grande do Sul

Nesta semana tive a oportunidade de conhecer o morador de rua Gelson Gabrielli – conhecido como Barba, que estava dormindo na calçada, em frente à Praça Barão de Araras (SP). Conversamos muito e ele me contou sua história, sobre uma surpresa que teve em novembro de 2016, quando reencontrou seu irmão.

Veja a reportagem da Tribuna do Povo

clique na imagem e saiba mais
Barba reencontrou o irmão Guilherme após anos separados: reencontrou foi marcado pela emoção (Crédito: Cristiano Leite/Tribuna)

A emoção marcou o reencontro do morador de rua Gelson Gabrielli – conhecido como Barba – com seu irmão Guilherme Gabrielli, este acompanhado da esposa Elaine Gabrielli. Ambos viajaram de Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, para buscar Barba – sem contato há mais de 10 anos. O reencontro foi possível graças ao trabalho de voluntários da ONG (Organização Não-Governamental) ASS (Associação Separados Para o Senhor), de Araras.

Uma recepção foi preparada debaixo da marquise de uma loja que fica no Centro, na mesma calçada do Banco do Brasil, local onde Barba escolheu viver durante os anos que permaneceu pelas ruas de Araras. Além de outros moradores de rua, todos comovidos pela história, munícipes também foram até o local para acompanhar o grande momento da vida dos Gabrielli.

Guilherme e Elaine chegaram em Araras às 18h30, acompanhados da vice-presidente da ASS, Vanessa Trevisan, que foi buscar o casal no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, ao lado de outros voluntários da ONG. Os olhos e gestos de Guilherme não escondiam a ansiedade que ele guardava para rever o irmão. “Não tenho palavras para explicar o que estou sentindo, é um amor muito forte que sinto por ele, assim como toda a família”, revelou para Tribuna.

O encontro, que estava marcado para acontecer no Centro Pop (Centro de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua) Narciso Gomes, localizado na Rua Visconde do Rio Branco, Centro, teve imprevistos e os familiares foram encaminhados até a Praça Monsenhor Quércia (Calçadão) para reencontrar Barba.

 

“Todo mundo te espera, meu irmão”

Foi com a frase acima que Guilherme abraçou o irmão Gelson Gabrielli (Barba) no Calçadão. “Você não tem noção do quanto todo mundo te espera, meu irmão. Você é muito querido”, disse, em lágrimas. O abraço entre os irmãos e a cunhada Elaine durou minutos e a emoção tomou conta do Calçadão, pois a cena atraiu atenção de todos que passavam.

Depois do reencontro, eles caminharam pela Praça Barão de Araras no sentido Rua Silva Telles e estavam acompanhados de munícipes e de outros moradores de rua que já estavam preparados para a recepção debaixo da marquise.

No percurso, Barba recebeu abraços dos companheiros de rua e até de outras pessoas que passavam pelo local. “Ele sempre foi muito brincalhão, educado e festeiro. Também muito responsável e trabalhador em Caxias do Sul”, contou Guilherme.

Guilherme disse que a família sempre ficou ansiosa para o reencontro e nunca esqueceu do irmão. “A história dele é comovente, pois aos 14 anos se apaixonou por um circo que tinha chegado em Caxias e depois foi embora com ele. Trabalhou um bom tempo para o circo e retornou”, relata Guilherme.

Anos depois, Barba sofreu uma desilusão amorosa e nunca mais voltou para a casa. “No período encontramos ele, mas disse que não queria mais contato com a família”, conta. Dez anos depois, a filha de Guilherme, Laura, sobrinha de Barba, recebeu a primeira mensagem pelo Facebook de Vanessa Trevisan e que cuidou de Barba durante um ano. “Não sei explicar para você o que senti quando falei com meu irmão pelo celular na primeira ligação”, disse Guilherme.

Gelson, voltou para sua casa no dia 15 de novembro de 2016, no voo de Campinas para Caxias do Sul. Vestindo terno – que foi seu desejo e que ganhou de presente graças à solidariedade de ararenses – ele ficou durante 2 horas ao lado do irmão e da cunhada até reencontrar os outros seis irmãos: além de Guilherme, também Marcelo, Jocelei, Joacir, Denise, Jurandir e Jane, além dos 25 sobrinhos. A numerosa família gaúcha recebeu Gelson com uma grande festa.

Só que essa alegria durou muito pouco, e já faz alguns meses que “Barba”, voltou para as rua e está novamente em Araras (SP). Perguntei o que houve ? Ele demorou para me responder e disse “problemas familiares”, questionei sobre voltar para sua família novamente, ele me disse que Deus sabe o que faz. Gelson sempre foi cristão, conhece a palavra de Deus, e casou-se na Assembleia de Deus Madureira, do Rio Grande do Sul, mesmo ministério o qual eu Beto Ribeiro faço parte, e mesmo sem saber disso, jamais deixaria deixar meu semelhante no frio e com fome. Consegui um pouco de alimento e agasalho para que pudesse amenizar um pouco seu sofrimento naquela noite.

Em Araras, os agentes da Secretaria de Ação Social tem grande dificuldade de acolher esse tipo de pessoa, por conta da resistência que eles oferecem na abordagem, não querem ajuda, por não concordarem com as regras dos programas que temos em nosso município, como por exemplo, não levar bebida alcoólica para dentro do Centro Pop. Enquanto isso, devemos sempre orar e na medida do possível ajudar esse pessoal que está nas ruas.