Mulher de 28 anos troca ‘nudes’ pelo whatsapp e sofre extorsão de R$ 10 mil em Araras, SP

Assim que a vítima perceber que caiu em um golpe, é preciso ter calma e não depositar nenhum valor.

Uma mulher de 28 anos está sendo vítima de extorsão em Araras (SP), após trocar ‘nudes’ com um suposto homem que ela conheceu em rede social. Após o ato, recebeu uma mensagem no whatsapp, número código número 55, pedindo R$ 10 mil para não publicar suas fotos em grupos da cidade.

A vítima procurou orientação na Central de Polícia Judiciária no sábado (2) e nesta segunda-feira (4), irá prestar queixa na DDM – Delegacia de Defesa da Mulher, e apresentar todas as informações do estelionatário (conta bancária) para o setor de investigação.

Com medo da exposição, a vítima que não fez o depósito, disse que excluiu todas as suas contas no facebook e instagram, e avisou familiares e amigos mais próximos sobre a situação em que está passando. Veja abaixo outros casos registrados na cidade neste ano.

Troca de “nudes” pelas redes sociais vira caso de polícia

“Me manda um nudes? Sim, claro!”. Esse diálogo nas redes sociais, aparentemente simples, pode esconder intenções nada ingênuas e se tornar numa tremenda dor de cabeça que, na maioria das vezes, resulta em crime de extorsão, e gera uma confusão tremenda para quem cai nessa armação. 

Foi o que aconteceu com um motorista de 40 anos, morador da região norte de Araras (SP), procurou o plantão policial no sábado, dia 5 de agosto, para registrar um boletim de ocorrência, após trocar “nudes” pelas redes sociais. De acordo com sua declaração, na quarta-feira (2), recebeu uma mensagem através do Messenger do Facebook de uma pessoa do sexo feminino que se identificou com sendo Vanessa, e que após esse primeiro contato eles começaram a trocar trocar mensagens pela WhatsApp. 

Durante o “bate papo”, já pelo whatsapp, a conversa ficou mais “picante”, e nesse momento mais “quente” da conversa, a jovem mandou fotos nuas e pediu que lhe mandasse também. O homem atendeu ao pedido e encaminhou a foto íntima, totalmente “peladão”. Sem saber, naquele momento ele havia caído no golpe do nudes. O homem apenas imaginava que estava se dando bem. Mas, a situação mudou.

Na sexta-feira (4), por volta das 16h30, o motorista recebeu uma ligação em seu celular de uma pessoa do sexo masculino, o qual se identificou com pai da Vanessa, e disse que ela tinha somente 15 anos, e ao ver suas fotos pelado no celular da filha, veio a danificar vários objetos dela como celular, notebook e televisão, e ele teria que ressarcir o prejuízo.

O susposto pai, forneceu uma conta da Caixa Econômica Federal, exigindo um valor de R$ 5.800,00, para que ele não fosse na delegacia registrar uma ocorrência. O homem não fez o depósito e registrou o fato no plantão da Central de Polícial, e o caso será apurado pelo setor de inteligência da Polícia Civil.

Homem cai no “Golpe do Nudes” e perde R$ 10 mil

Com a facilidade em acessar a internet de qualquer lugar, a qualquer momento e através do celular, por exemplo, alguns crimes virtuais se tornaram mais comuns, entre eles, o chamado “ Golpe do Nudes” ou “Sextorsão”.

A Polícia Civil alerta para os perfis desconhecidos nas redes sociais e pede para que as pessoas evitem conversar com estranhos nos aplicativos. De acordo com informações, ao menos cinco ocorrências já foram registradas na cidade de Araras (SP), em uma delas nesta semana, um homem perdeu R$ 10 mil reais, e registrou o boletim de ocorrência na central de Polícia Judiciária.

O golpe

Normalmente tudo começa no aplicativo Facebook, quando um perfil falso adiciona vítimas e começa a conversar. O Golpe do Nudes ou Sextorsão como ficou conhecido, consiste na criação de perfis fakes pelos criminosos, onde geralmente esses perfis são de mulheres atraentes, que passam a adicionar as vítimas e a dialogar através do messenger do facebook.

Posteriormente na troca de informações eles trocam mensagens pelo aplicativo whatsapp e enviam fotos íntimas. Os bandidos primeiramente enviam fotos de uma mulher e em seguida pedem para a vítima enviar suas fotos íntimas. Os fakes femininos são mais comuns e que na maioria dos casos.

Contas e números de telefone do sul

Depois que a pessoa envia fotos das partes íntimas do corpo, o perfil de uma terceira pessoa, e que seria o próprio criminoso, entra em contato para fazer a cobrança afirmando que a pessoa para quem enviou as imagens seria menor de idade e que para não fazer denúncia a vítima precisaria pagar um determinado valor. Passam a exigir certa quantia para não denunciá-lo à Polícia.

Ele fala que a pessoa com quem trocou as fotos seria menor de idade, que a vítima poderia sofrer um processo criminal, entre outras maneiras de tentar extorquir. Os criminosos se passam também por falsos advogados para fazer a cobrança e que os valores exigidos variam, mas são sempre acima de R$1.000 e caso a vítima não queira pagar os bandidos fazem ameaças. Falam que vão encaminhar as fotos para a família da vítima.

Na maioria das ocorrências registradas, as contas informadas para depósito e os números usados para contato são códigos 53, 54 e 55 de cidades do Rio Grande do Sul por isso a Polícia Civil suspeita que os golpes são aplicados por uma quadrilha de lá. Com o aumento de casos, a orientação da Polícia Civil é no sentido de evitar troca de mensagens com desconhecidos, principalmente mensagens íntimas.

Quando os criminosos entrarem em contato pedindo dinheiro é melhor bloquear e não passar nenhuma outra informação a eles. Vale lembrar que caso esteja passando por uma situação como esta é importante informar a polícia e registrar Boletim de Ocorrência.

Dicas de como agir

Assim que a vítima perceber que caiu em um golpe, é preciso ter calma e não depositar nenhum valor. Além disso, é importante não bloquear e excluir os contatos dos golpistas e salvar todo o material que possa ser usado como provas – conversas.

Outra dica é para que a vítima colha o maior número de informações possíveis dos golpistas. Não há nenhuma garantia de que a pessoa vá espalhar as fotos, fazer denúncias, então, a vítima tem que manter a calma e coletar as informações. Copiar as páginas, conversas e buscar a polícia.

Nossa reportagem já relatou inúmeros casos parecidos e a forma de atuação dos criminosos é a mesma. Dessa vez, a vítima contou que conversou com o susposto homema durante a semana. O papo ‘esquentou’ e eles trocaram fotos íntimas.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT