Mulher é multada pela Polícia Militar Ambiental por manter periquitão-maracanã em cativeiro na cidade de Rio Claro, SP

A ave se encontrava em local limpo e protegido das intemperes climáticas e com comida e água a vontade, não possuía sinais de maus-tratos nem sua asas cortadas.

No domingo (23), durante Operação “Rodovias Mais Seguras”, pelo município de Rio Claro (SP), em atendimento de denuncia WEB sobre intervenção em Área de Preservação Permanente, a equipe composta pelos policiais militares ambientais, cabo Duprê e soldado Claudino, fizeram contato com a responsável por umas das áreas invadidas na APP, pelo bairro Nova Rio Claro, onde foi contatado que ela possuía em sua residência uma ave da espécie periquitão-maracanã (Psittacara Leucophthalmus).

Questionada sobre a ave, ela informou a equipe que não possuía autorização nem documentação, informou a equipe que até a presente data não possuía conhecimento que não poderia ter ave em sua posse. A ave se encontrava em local limpo e protegido das intemperes climáticas e com comida e água a vontade, não possuía sinais de maus-tratos nem sua asas cortadas, por razões desconhecidas a ave possuía ausência de penas em parte de suas asas e em sua calda impossibilitando que alçasse voo.

Foi feito contato através do plantão do 3° Pel PAmb, com o Cras Pró-Arara no município de Araras (SP); Associação Mata Ciliar pelo município de Jundiaí (SP) e Parque Ecológico do Tiete no município de São Paulo (SP), sem êxito, ficando desta forma a ave sobre os cuidados da senhora Antônia.

Diante dos fatos elencados foi elaborado em desfavor da mesma um auto de infração Ambiental com o valor de multa simples no valor de R$ 500,00 (QUINHENTO REAIS) com base no Artigo 25 §3° inc 3°, sendo orientada sobre as leis ambientais vigentes. As providências penais foram encaminhadas via ofício à Delegacia de Polícia Judiciária.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT