Mulher liga para Polícia Militar solicitando uma “pizza” e policial entende pedido de socorro de violência doméstica

Durante o depoimento, ela contou que estava sofrendo várias agressões físicas e psicológicas, além de ameaças de morte.

Uma mulher que estava sendo vítima de violência doméstica conseguiu pedir socorro para a Polícia Militar ligando no telefone de emergência 190 e afirmando ao policial que queria “uma pizza” na cidade de Andradina (SP). O caso foi registrado na noite da última terça-feira (25).

Segundo informações da PM, durante o turno de trabalho, os policiais do COPOM (Centro de Operações da Polícia Militar) da cidade de Araçatuba (SP), receberam uma ligação inusitada, onde a atendente solicitava uma pizza, passando o possível endereço para entrega do pedido, e desligou a ligação.

Ao término do atendimento, o policial entendeu que era um pedido de socorro, e enviou uma equipe para o endereço informado pela suposta vítima. De acordo com a PM, chegando no local os policiais se depararam com um homem defronte ao imóvel, que ao ver a presença dos militares empreendeu fuga. 

Ainda de acordo com a PM, a vítima foi até a equipe e relatou que estava sendo vítima de agressão, e que o homem que fugiu dos policiais era seu marido, o qual já esteve preso por mais de 20 anos. Durante o depoimento, ela contou que estava sofrendo várias agressões físicas e psicológicas, além de ameaças de morte. 

PM entende pedido de socorro 

Ao comentar a ligação inusitada para a polícia, a vítima informou que, como não poderia telefonar pedindo socorro, já que o marido poderia ouvir, teve a ideia de sugerir que os dois pedissem uma pizza, com o “truque” de discar o telefone de urgência.

A vítima disse à polícia que pediu autorização do marido para comprar o alimento e, no momento de fazer o pedido, discou 190 e torceu para que o Policial compreendesse que se tratava de um pedido de socorro.

Consta no B.O (boletim de ocorrência), que durante o transcorrer da ocorrência, ela solicitou que os policiais verificassem uma motocicleta que estava aos fundos do imóvel, pois, suspeitava ser roubada ou furtada. Durante as pesquisas, os Policiais constataram ser produto de furto.

A ocorrência foi encaminhada ao plantão policial e apresentada ao delegado plantonista, sendo registrada como ameaça, violência doméstica, localização e apreensão do veículo.O fato segue em investigação pela Polícia Civil de Andradina. 

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT