Mulher passa em frente a acidente e descobre que irmão foi vítima

Jovem de 24 anos morreu após ter moto atingida por carro durante ultrapassagem em Mongaguá, no litoral paulista. Caso foi registrado como lesão corporal culposa na direção de veículo automotor.

A recepcionista Vanessa dos Santos Ferreira Maciel, de 32 anos, passou em frente a um acidente de trânsito e teve um pressentimento ruim. Minutos depois, recebeu uma ligação da cunhada, e soube que o irmão havia sido a vítima da colisão. O entregador José Ferreira Del Poio, de 24 anos, morreu na madrugada desta sexta-feira (30), em Mongaguá, no litoral paulista.

“Quando a minha cunhada me ligou para avisar do ocorrido, eu ainda estava há poucos minutos do acidente, estava do outro lado da via, fazendo o desvio [devido à colisão] para passar pelo lado em que tinha ocorrido o acidente, porque era o meu caminho mesmo. Mas, quando passei e olhei, não consegui ver direito, e nunca imaginei que era meu irmão. Porém, tive um pressentimento ruim assim que vi, senti um aperto no coração, antes mesmo de saber que era ele, porque éramos muito ligados um com o outro”, relatou Vanessa ao G1 neste sábado (31).

Após saber, a recepcionista retornou e parou no local do acidente, que ocorreu na tarde de quinta-feira (29), na Avenida Monteiro Lobato, no bairro Vila Vera Cruz.

De acordo com a Polícia Civil, policiais militares foram acionados via Copom para atendimento a um acidente de trânsito com vítima. No local, os PMs encontraram um carro e uma motocicleta, e apuraram que o condutor do automóvel seguia pela avenida e, ao tentar ultrapassar um ônibus que estava parado no ponto, colidiu frontalmente contra a moto.

Imagens de câmeras de monitoramento (veja acima) mostram o momento em que o carro faz a ultrapassagem e atinge o motociclista.

“Meu irmão estava trabalhando no momento do acidente, ele era entregador de uma loja de autopeças. O motorista do carro foi ultrapassar, então, estava na contramão quando pegou meu irmão de frente. O José estava consciente na hora, olhou para mim e falou o nome da filha dele. Depois, não consegui mais falar com ele, porque já levaram ele na ambulância, e minha cunhada acompanhou”, diz a irmã.

Em nota, a Prefeitura de Mongaguá informou que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) atendeu à ocorrência por volta das 15h40 de quinta-feira. A vítima estava consciente, com sangramento ativo na cabeça e no tórax.

De acordo com a administração municipal, o motociclista foi socorrido e atendido, e foi constatado um traumatismo cranioencefálico (TCE), fratura exposta no membro inferior direito e hipotensão. Ele foi encaminhado ao Hospital Irmã Dulce, onde faleceu às 3h52 desta sexta-feira (30).

A Polícia Civil informou que o carro foi apreendido administrativamente pela PM por estar com a documentação atrasada. A moto foi entregue ao empregador do motociclista. Os veículos foram periciados.

Foram solicitados exames aos institutos de Criminalística (IC) e Médico Legal (IML), e o caso foi registrado como lesão corporal culposa na direção de veículo automotor pela Delegacia Sede de Mongaguá. A comunicação de óbito ocorreu pelo 2º DP de Praia Grande, no bairro Boqueirão.

A irmã da vítima relatou que o condutor apresentava sinais de embriaguez, mas a Polícia Civil não confirmou a informação. “Depois que aconteceu o acidente, eu ainda vi o condutor do carro conversando no local, rindo e fumando, como se nada tivesse acontecido. Meu irmão era jovem, alegre, cheio de sonhos, deixa uma filhinha de menos de 1 ano e esposa, devido à imprudência de outra pessoa. Então, queremos que a justiça seja feita”, diz Vanessa.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT