No Conselho de Ética da Alesp, Danilo Balas se manifesta favorável à cassação do Deputado Arthur do Val

Ao final da reunião, foi decidido por unanimidade pelos deputados que compõem o Conselho, após sessão tumultuada, pela cassação de Arthur do Val.

Durante a reunião do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), o Deputado Estadual Danilo Balas (PL) se manifestou favorável à cassação do mandato do Deputado Arthur do Val, conhecido como Mamãe Falei, que sofreu o pedido após proferir falas machistas sobre as mulheres ucranianas ao afirmar: “…são fáceis porque são pobres…”, além de outras atitudes extremamente temerárias no contexto de guerra.

Ao final da reunião, foi decidido por unanimidade pelos deputados que compõem o Conselho, após sessão tumultuada, pela cassação de Arthur do Val. Agora, o processo segue para a Comissão de Constituição e Justiça e, na sequência, será apreciado por todos os deputados, no Plenário da Casa, que votará pela cassação do mandato ou pela absolvição do parlamentar.

No início de março deste ano, Arthur do Val viajou à Ucrânia, que enfrenta uma guerra contra a Rússia, para realizar uma suposta ação humanitária ao país. Acontece que, durante essa viagem, ele enviou mensagens de áudio para um grupo de WhatsApp ofendendo as ucranianas, além de ter afirmado que estava confeccionando armas químicas para o exército ucraniano.

No Conselho de Ética da Alesp, foram protocolados mais de 20 pedidos de cassação, entre eles, o de Danilo Balas, que foi assinado em conjunto com a Deputada Federal Carla Zambelli e os colegas do Poder Legislativo paulista Major Mecca, Frederico D’Avila, Castello Branco, Gil Diniz e Valeria Bolsonaro.

Durante a sua fala, Danilo Balas ressaltou que protocolou uma Comunicação na Casa da Organização das Nações Unidas (ONU) no Brasil, mais especificamente na ONU Mulheres, e que também encaminhou uma representação endereçada ao chefe do Ministério Público Federal (MPF), Augusto Aras. Na ONU, foi solicitada a verificação de possíveis violações aos Direitos Humanos e à Situação da Mulher, bem como a aplicação dos mecanismos de proteção da Dignidade da Pessoa Humana. Já no MPF, foi solicitada a instauração de investigação, a fim de que sejam tomadas medidas administrativas e judiciais contra Arthur do Val. Esses documentos contam com as assinaturas da Deputada Carla Zambelli e outros.

“Arthur do Val precisa responder administrativamente e juridicamente pelos seus atos inconsequentes e desumanos. Não vamos admitir tamanha afronta em relação às mulheres ucranianas, que estão em situação de vulnerabilidade.”

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP