“Nossa bandeira não é Bolsonaro”, afirma caminhoneiro Zé Trovão

Ele convocou manifestantes para irem para frente do Senado e colocar “pressão” em Rodrigo Pacheco.

O caminhoneiro Marcos Antônio Pereira Gomes, que se apresenta como “Zé Trovão”, afirmou nesta quinta-feira (9) que “ninguém está fazendo movimento em prol do presidente Bolsonaro”, em referência aos bloqueios de caminhoneiros que começaram na noite de quarta-feira (8) em todo Brasil. A informação fou divulgada pelo PODER 360.

“Quem é responsável pelo impeachment dos ministros do STF? Não é Senado Federal? Não é o Rodrigo Pacheco? Não são os 81 senadores? Ninguém está fazendo movimento em prol do presidente Bolsonaro, não. Ninguém foi para as ruas por causa do presidente. Fomos às ruas por causa do povo brasileiro, que está sofrendo, que está sendo injustiçado, massacrado”.

“Nossa bandeira é Brasil. O Bolsonaro está hoje no poder. Amanhã pode não estar mais. Mas nós vamos continuar no Brasil, continuar precisando de liberdade”, continuou Zé Trovão.

O caminhoneiro convocou todos os manifestantes para irem para frente do Senado e colocar “pressão” em Rodrigo Pacheco. “Ele tem que ouvir o povo, alguma coisa tem que ser feita”. Segundo ele, Pacheco está calado na toca, mas será “tirado” dela em breve.

Em um outro vídeo, divulgado minutos depois do anterior, o caminhoneiro voltou a afirmar que as paralisações são iniciativas separadas do presidente Bolsonaro.

“Nossa luta é contra os desmantelos do STF, é contra o Alexandre de Moraes, é contra a corrupção, contra a bandidagem. Nós não estamos de maneira nenhuma defendendo o presidente Bolsonaro, nem contra nem a favor. Estamos lutando pelo Brasil”.

Afirmou que os cartazes nas paralisações precisam ter o rosto do ministro Alexandre de Moraes pedindo seu impeachment. “Tirem as faixas que estão com apoio ao Bolsonaro, pelo amor de Deus. Vamos lutar pelo certo. Nós não estamos lutando a favor do Bolsonaro. Estamos lutando pela família brasileira”.

Continuou: “Estou aqui de novo tendo que fugir, porque eu queria me entregar, mas ninguém quer deixar eu me entregar. Por que quero me entregar? Porque o povo brasileiro precisa saber que estou do lado dele”.

Mais cedo, Zé Trovão, que é alvo de mandados de busca e apreensão expedidos pelo ministro Alexandre de Moraes, disse que está no México e que será preso e levado de volta ao Brasil. “Em alguns momentos eu devo ser preso. Eu devo ser preso, eu não vou mais fugir. Chega, chega, eu tô cansado disso [sic]”, afirmou.

Na última 4ª feira (8.set), ele convocou para novas paralisações de caminhoneiros: “É para trancar tudo”, disse.

SITUAÇÃO ATUAL

O Ministério da Infraestrutura e a PRF (Polícia Rodoviária Federal) informaram em nova atualização que já não há interdições em rodovias federais. As manifestações reduziram em 35%, mas ainda são encontradas em 13 Estados.

Na noite de 4ª feira (8.set.2021), caminhoneiros fizeram paralisações em 16 Estados. O atos foram realizados um dia depois dos protestos a favor do presidente Jair Bolsonaro no 7 de Setembro. Em Brasília, concentraram-se em frente ao Congresso Nacional e pediram a destituição de todos os ministros do STF.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT