Onda de calor continua e Inmet alerta para risco de morte em parte do Brasil

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta para o perigo de morte por hipertermia em partes do Centro-Oeste e do Sudeste, além de áreas do estado do Tocantins. O alerta vale até quinta (8) ou sexta-feira (9), dependendo da localidade.

A hipertermia é a condição caracterizada pela elevação da temperatura corporal quando o organismo produz (febre) ou absorve mais calor do que consegue dissipar.

Cinco graus acima da média
 
O meteorologista do Inmet Olivio Bahia explica que no Brasil não é comum ver morte associada a onda de calor. “No Brasil não é comum, mas sabemos que o corpo humano sente. Essas mortes provocadas pelas ondas de calor são mais frequentes na Europa”, diz.
 
Bahia explica que o aviso é emitido quando as temperaturas registradas superam em cinco graus a temperatura média em determinada área. “De dois a três dias, o alerta é amarelo. O laranja é quando a condição de temperatura acima da média varia de três a cinco dias. Acima de cinco dias, como agora, o alerta passa a ser vermelho”.
 
Segundo o Inmet, as regiões que registrarão 5ºC acima da média, por mais de cinco dias consecutivos, são: Distrito Federal; Goiás; Centro Goiano; Leste Goiano; Sul Goiano; Norte Goiano; Noroeste Goiano; Mato Grosso; Centrossul Mato-Grossense; Nordeste Mato-Grossense; Norte Mato-Grossense; Sudeste Mato-Grossense; Sudoeste Mato-Grossense; Mato Grosso do Sul; Sul e Sudoeste Sul-Mato-Grossense; Pantanal Sul-Mato-Grossense; Centro Norte Sul-Mato-Grossense;
Leste Sul-Mato-Grossense; Minas Gerais; Triangulo Mineiro; Alto Paranaiba; São Paulo; Campinas Bauru/Araraquara/Piracicaba; Ribeirão Preto; Araçatuba/São José Do Rio Preto; Presidente Prudente/Marília/Assis; Tocantins; Sudeste Tocantinense; Sul Tocantinense e Oeste Tocantinense.

Em caso de emergência, o Inmet recomenda que a população contate a Defesa Civil (telefone 199). Também deve ser aumentada ingestão de líquidos, evitar a prática de atividades físicas ao ar livre entre as 10h e 17h e usar protetor solar. (Com informações de G1)
clique na imagem e saiba mais