ONG informa morte de 18 cães resgatados de canil: ‘cinomose e má-formação’

PUBLICIDADE

Animais foram acolhidos em situação de maus-tratos em abril deste ano; casal responsável pelo espaço foi preso e recorrem pela retomada de tutela.

A Associação Limeirense de Proteção aos Animais (Alpa), entidade que resgatou parte dos 138 cães e gatos em situação de maus-tratos de um canil clandestino na cidade, afirmou nesta sexta-feira (15), em publicação nas páginas da organização, que 18 cachorros morreram, a maioria deles devido à cinomose, e outros por problemas cardíacos e má-formação congênita, segundo a nota.

A Alpa resgatou 69 dos 138 cães e gatos que ficavam no canil. Todos eles, segundo da ONG, já chegaram doentes à instituição. A organização afirma ainda que os outros animais internados também correm risco e que lamenta a situação.

“Os animais, todos vítimas de maus tratos, apresentavam péssimo estado de saúde, derivado dos cruzamentos entre animais doentes, sem a devida supervisão de profissional competente, gerando filhotes doentes, todos desacompanhados de cuidados, na situação insalubre, ao meio de fezes, sem alimentação ou água, sem vacinação, sem tratamento, gerando dor e sofrimento”, disse em trecho da publicação nas redes sociais.

PUBLICIDADE

A Alpa afirmou ainda, em nota, que todos os animais laudo com atestado de óbito por veterinário responsável. A organização assumiu a tutela temporária e, segundo informou em nota, também os custos de tratamento do cães e gatos resgatados.

“[…] os quais hoje somam valor superior a R$ 300.000, não sendo este, no entanto, empecilho para que todos os esforços sejam feitos para que os animais possam sobreviver, estando a ONG, cujo trabalho é totalmente voluntário, a buscar recursos por meio de doações para custear todo tratamento”, declarou.

De acordo com a Associação, todos os animais passaram por consulta veterinária e exames, foram medicados e microchipados. As fêmeas passaram por ultrassom e receberam cuidados.

“Porém, com pesar, a ONG informa que devido às lamentáveis condições de saúde e ausência de cuidados básicos como vacinas, alguns animais vieram à óbito no decorrer dos dias subsequentes ao resgate, gerando ainda mais revolta à todos os envolvidos em seus cuidados”, afirmou.

O juiz Guilherme Lopes Alves Lamas nomeou leiloeiro para estabelecer os procedimentos de alienação dos animais vítimas de maus-tratos, sendo 131 cães da raça Lulu-da-Pomerânia. A associação Limeirense de Proteção aos Animais (ALPA) pediu preferência na aquisição dos animais e defende que eles sejam disponibilizados para adoção e aguarda decisão.

PUBLICIDADE
CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP