Operação Huracan II: Polícia Militar Ambiental realiza vistoria na zona rural de São João da Boa Vista, SP

Nesta segunda etapa as ações serão concentradas na refiscalização dos alvos da “Operação Huracan I”.

Nesta terça-feira (22), os policiais militares cabo De Melo, cabo Vanderlei e cabo Elias, dando sequência a Operação “Huracan II”, estiveram procedendo vistoria pela zona rural de São João da Boa Vista (SP), direcionada para a refiscalização dos alvos da “Operação Huracan I”, a fim de verificar a manutenção ou adequação à legislação vigente das áreas irregulares.

Com o contingente de 1.200 policiais militares, Promotores de Justiça e técnicos do GAEMA, e emprego de 430 viaturas e drones a operação terá por objetivo reforçar a prevenção de queimadas e/ou incêndios florestais, e consequentemente, a minimização dos impactos que estes acarretam no meio ambiente e na saúde pública.

Nesta segunda etapa as ações serão concentradas na refiscalização dos alvos da “Operação Huracan I”, a fim de verificar a manutenção ou adequação à legislação vigente das áreas irregulares, também serão os proprietários rurais orientados quanto às medidas de prevenção, a exemplo da manutenção dos aceiros nas plantações de cana-de-açúcar.

 Margens de rodovias, ferrovias, zonas de amortecimento de Unidades de Conservação (UC) e outros pontos de vulnerabilidade para incêndios serão alvo do Ministério Público e da Polícia Ambiental.

Haverá continuidade nas ações de educação ambiental nas redes sociais como forma de conscientizaçãode toda a população, com os alertas: Operação “Huracan” antecipa as ações da “Corta-Fogo”, que conta com a integração das ações dos órgãos ambientais na prevenção, monitoramento, controle e combate a incêndios florestais. Ainda mais importante, iniciam-se as ações de educação ambiental nas redes sociais como forma de conscientização de toda a população, com os alertas:

 
  • Não atire cigarros ou fósforos às margens de rodovias.
  • Não solte balões. Soltar balões é crime previsto na Lei 9.605/98.
  • Evite acender fogueiras. Não acenda fogueiras perto de matas e em dias de vento.
  • Não realize queimadas. Quando necessário aplicar em áreas agrícolas, conforme regulamentação legal, solicite autorização prévia à CETESB.
  • Não solte fogos de artifício próximo às áreas com vegetação.
  • Não permita que crianças façam uso de fósforo, isqueiros ou materiais inflamáveis.
  • Não jogue lixo em terrenos baldios.

 

A terminologia “Huracan” faz alusão à mitologia maia, sendo o Deus responsável por catástrofes naturais com a invocação de elementos como o vento, fogo e terra.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT