Operação prende criminosos que cultivavam maconha e faziam vendas através de perfis em rede social

Polícia Civil encontrou estufas em duas casas, em Jundiaí (SP). Perto de uma delas, em um quarto, havia uma cama ao lado.

Uma operação da Polícia Civil apreendeu maconha em dois endereços, na manhã desta terça-feira (26), em bairros de Jundiaí (SP). Os dois locais foram identificados por conta de perfis mantidos em redes sociais relacionados com a droga.

De acordo com a Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (DISE),o primeiro homem, de 40 anos, foi detido pelo cultivo da planta no bairro Vila Progresso. Segundo a polícia, o ele fazia propaganda nas redes sociais, onde tem mais de 30 mil seguidores.

No endereço foram encontradas duas estufas artesanais com luz, ventilação e medidor de temperatura. Também havia 12 vasos com pés de maconha, que pesaram cinco quilos, 28 frascos de vidro com maconha em fase de secagem com dez quilos. Os potes tinham rótulos com indicação do tipo da erva, “sabor” e outras características.

clique na imagem e saiba mais

Conforme o balanço, foram identificadas 20 embalagens com sementes importadas. O indivíduo não tem passagens pela polícia, está desempregado há quatro anos e alegou que não cultiva com fim lucrativo, mas medicinal. Ele foi autuado por tráfico de drogas.

Em outra residência, um homem de 34 anos foi preso na região do Medeiros. Ele também mantinha uma página em rede social. Na casa dele tinha estufa parecida com a do outro imóvel. Segundo a investigação, estavam sendo cultivados sete vasos com pés de maconha, que pesaram 7,5 quilos.

Em um guarda roupa estavam escondidos 26 potes, que continham 15,3 quilos da droga e 200 sementes. Com ele foi apreendido um caderno com a contabilidade da venda, balança de precisão e telefone celular. Ele foi autuado em flagrante por tráfico de drogas.

ÁGIL DPVAT