Paciente internada 145 dias por Covid-19 tem alta e deixa mensagem: ‘Não desistam’

Pensionista terá de continuar o tratamento em home-care, pois perdeu os movimentos e tem crises convulsivas.

Por Cristina Boeckel, G1 Rio – A pensionista carioca Sandra Lúcia Boente, de 68 anos, teve alta nesta quarta-feira (28) após 145 dias internada em consequência da Covid — boa parte do tempo dependendo de respiradores. Mas Sandra e seus dois filhos, um deles também curado do coronavírus, dizem que jamais perderam a fé.

E com a mesma fé, emendam, vão enfrentar os próximos dias. Sandra ficou com sequelas e continuará o tratamento em casa, em home-care. A pensionista perdeu os movimentos do corpo e, apesar de avanços com a fisioterapia, ainda não voltou a andar. Ela também sofre com crises convulsivas e com queda de cabelo.

Poucos minutos antes da alta, ela fez questão de agradecer às equipes que cuidaram dela e lembrou que a fé foi muito importante no processo. “Eu estou muito feliz e muito grata a Deus por ter concedido essa bênção para mim”, disse a paciente.

Sandra foi internada no Hospital Unimed-Rio, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, no dia 4 de dezembro. A pensionista estava com febre, dores no corpo e saturação baixa. O quadro logo se agravou, e ela teve que ser intubada. Passou três meses e meio dependendo da respiração mecânica.

Sandra deixa o Hospital Unimed-Rio, na Barra, após quase cinco meses internada — Foto: Cristina Boeckel/G1

Filho também teve Covid

O filho de Sandra, Alan Marcos Gomes da Costa, foi internado por causa da Covid na mesma época que a mãe. “No dia que a minha mãe deu entrada, eu fui internado com Covid. No isolamento eu ficava pensando na minha mãe e no meu irmão. Dia 10 [de dezembro] eu tive alta, fiquei um tempo em casa para me recuperar e já corri para cá”, disse Alan.

Ele concorda com o irmão que é uma nova data de aniversário para Sandra. “Quando a gente chegou aqui foi uma imagem muito impactante, ela só tinha movimento no globo ocular. Era uma imagem forte para quem ama, para quem é filho. Mas nos unimos para lutar junto com ela”, contou Alan.

“Para quem está lá, ver um rosto conhecido não tem preço. A gente escutou que a nossa presença foi importante para a recuperação dela. Ainda é um caminho longo”, afirmou Alan.

Na saída do Hospital Unimed, Sandra fez questão de deixar uma mensagem para aqueles que estão internados ou com familiares em hospitais por causa da Covid-19. “Por favor, não desistam e não percam a fé. Deus é capaz de qualquer coisa”, afirmou.

Segundo o Dr. Gabriel Massot, diretor do Hospital Unimed-Rio, casos de longas internações, não são incomuns, mas não representam a maioria das ocorrências. “Muitas vezes, a gente tem complicações dos casos de Covid, o que depende de cada paciente e ele fica mais tempo internado, como ela”, disse Massot.

Muitas vezes, a infecção inicial pode se desdobrar em várias outras, tendo consequências renais, hepáticas e embólicas, como no caso dos AVCs, o que acaba prolongando a internação. “Quando o paciente é internado com uma infecção viral, como a Covid, ele pode ter complicações e ter infecções bacterianas”, afirmou Massot.

Ele reconhece que a participação da família é importante no processo após a internação em casos como o de Sandra, pois a recuperação continua com cuidados continuados domiciliares, que variam de acordo com o paciente.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT