Pai e gêmeos que perderam a mãe com Covid-19 após parto recebem homenagem do Palmeiras

Mascotes oficiais visitaram o jovem e as crianças em Macatuba (SP) depois que ele publicou foto dos filhos recém-nascidos vestidos com macacões do time; Willian Bigode gravou recado.

Por Júlia Nunes e Alexandre Azank, G1 Bauru e Marília e TV TEM

Os gêmeos Gustavo e Guilherme receberam uma visita especial em Macatuba (SP). Os mascotes do Palmeiras, o Periquito e o Porco Gobatto, foram da capital paulista até a casa deles para entregar presentes aos pequenos torcedores, que perderam a mãe com Covid-19 após complicações no parto. O jogador Willian Bigode também gravou uma homenagem.

Os meninos nasceram em um hospital particular de Botucatu e tiveram alta no último domingo (5), depois de ficarem uma semana internados por serem prematuros. Para deixar a saída da maternidade ainda mais especial, os gêmeos foram vestidos com roupas do Palmeiras, um presente do avô, que carrega o time no coração.

clique na imagem e saiba mais

Mantendo viva a paixão que passa de pai para filho, o pai das crianças, Diego Rodrigues, postou uma foto sorridente com os gêmeos e a camisa do Verdão no dia da alta, o que mobilizou grupos de torcedores e inspirou o clube a fazer a homenagem.

Os mascotes presentearam os meninos, na manhã desta quarta-feira (8), com chupetas, mamadeiras, chocalhos e saboneteiras alviverdes. Diego e os filhos também ganharam camisetas especiais do Palmeiras.

A visita ficou mais emocionante com a mensagem de Willian Bigode, que desejou forças ao Diego e agradeceu o carinho com o Palmeiras. “Eu e meu pai, a gente ama o Willian. Além de ser um bom jogador, ele é um cara de família. Eu quero mandar um abraço, um beijo, e que ele continue focado porque tem muitos títulos ainda pra ganhar pelo Palmeiras”, opina o torcedor.

Segundo Diego, não tem como os filhos não herdarem o amor pelo verde e branco, já que o pai está “ensinando as coisas certas desde berço”. Vitoriosos, Gustavo e Guilherme dão forças para Diego lidar com a perda da esposa Larissa Blanco, de 23 anos. Ela estava de 35 semanas de gestação quando deu à luz os gêmeos e não resistiu.

Agora, o palmeirense espera dar o melhor dele aos filhos e deixar Larissa orgulhosa. Com o sorriso no rosto e o brasão do Palmeiras no peito, Diego agradece à esposa pelos “dois anjinhos” e continua lutando de cabeça erguida.

“Eu coloquei na cabeça uma coisa. Ela era uma pessoa alegre, divertida e penso isso todos os dias que acordo. Tá doendo as saudades, mas eu vou dar o melhor de mim para os meus filhos, era o que a gente tinha planejado”, conta Diego.

“Crescer sem mãe já é difícil e se o pai não estiver do lado, não estiver forte, vai ser duro para as crianças também”, completa o torcedor.