Pai faz visita para agradecer as equipes que fizeram de tudo para tentar salvar a vida de seu filho, morto em queda de portão em Araras, SP

Mattew Leme Pereira foi socorrido, mas sofreu um traumatismo craniano e não resistiu.

Na última sexta-feira (8), Wilson Alves Pereira, esteve fazendo uma visita de as equipes do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. Segundo ele foi uma forma de agradecer pessoalmente todos que fizeram o possível e impossível para tentar salvar a vida de seu filho, que infelizmente morreu no final do mês de agosto.
 
“Fui pessoalmente agradecer estas Equipes: Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo; SAMU Araras SP; Polícia Militar. A Capelania não pode Parar. Agradecimento mais que merecido a estes Bravos que fizeram o Possível e Impossível para Salvar a Vida do meu filho Mattew Leme Pereira , vítima de um Acidente de Trabalho. Deus Abençoe  Grandemente todos estes Guerreiros e os demais envolvidos nesta Ocorrência do dia 24/08/2021″, escreveu Wilson em suas redes sociais.
 

Sobre o acidente

Um jovem de 21 anos morreu em Araras (SP) ao ser atingido pela queda de um portão na empresa de empilhadeiras onde trabalhava. Mattew Leme Pereira foi socorrido, mas sofreu um traumatismo craniano e não resistiu.

Os pais de Mattew foram buscá-lo no trabalho por volta das 19h. O rapaz enviou uma mensagem avisando que iria demorar um pouco para sair porque iria descarregar mais um caminhão. Assim que terminou a tarefa e foi fechar o local, o portão, que é manual, acabou caindo em cima do jovem.

O pai, Wilson Alves Pereira, contou que estava a 20 metros de distância do filho. Ele disse que os bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) fizeram tudo que era possível para salvar o filho, mas ele não resistiu. O corpo de jovem foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Limeira. 

Queda de portão em empresa de Araras mata trabalhador de 21 anos — Foto: Arquivo pessoal

Fatalidade

Mattew era solteiro e trabalhava na empresa de empilhadeiras desde 2015. Segundo o pai, a família recebeu apoio de todos da empresa. O jovem cursava o quarto semestre do curso de engenharia mecânica e, de acordo com o pai, era muito inteligente e nunca deu trabalho. Torcedor fanático do Corinthians, ele chegou a jogar futebol pela equipe da universidade.

Pereira contou que familiares e amigos estão em choque com o acidente fatal que tirou a vida do jovem. “A lembrança mais forte que fica com ele é o último abraço no Dia dos Pais e o áudio que ele mandou um pouco antes do acidente, dizendo ‘já estou indo’. Nosso futuro engenheiro irá construir muitas coisas no céu”, disse o pai.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT