Pai que viu filhos passarem fome perde emprego por falta de documentos

Anúncio
Clique na imagem. Link direto para Whatsapp

Hoje, Antônio Carlos Sousa voltou à informalidade e se divide entre ter que sair para trabalhar e deixar a esposa doente sozinha em casa.

Antônio Carlos Silva Sousa, 35 anos, terminou 2018 com a esperança de dar uma vida melhor para a mulher e as duas crianças, mas acabou enfrentando novo drama. Após um lava jato oferecer emprego ao ambulante que viu os filhos de 9 e 5 anos passarem fome, Antônio não conseguiu começar a nova atividade porque, sem a documentação necessária, não pôde tirar a Carteira de Trabalho.

A história dele e da companheira, Joyce Priscila Pereira de Jesus, 28, comoveu o Distrito Federal após a imprensa local contar que as crianças estavam deixando de ir à escola. O motivo? Muitas vezes elas não almoçavam antes das aulas por não terem o que comer em casa.

Sem alimentos para o café da manhã e o almoço, a mãe preferia não mandar os meninos para as aulas à tarde, com receio de que passassem mal de fome antes da hora da merenda.

Com a repercussão do caso, a família, que chegou a morar por dois meses dentro de um carro próximo ao Lixão da Estrutural por não ter dinheiro para o aluguel, recebeu a ajuda de desconhecidos de todo o Distrito Federal.

Após o Conselho Tutelar quase tirar a guarda das crianças, Antônio recebeu uma oferta de emprego. No entanto, o futuro patrão desistiu, pois tinha urgência em reforçar a equipe do lava jato.

Antônio não conseguiu a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) porque a Certidão de Nascimento, já muito gasta, não foi aceita. O documento é um dos necessários para tirar a CTPS. Além da Certidão de Nascimento – ou de casamento –, são necessários Carteira de Identidade, CPF e comprovante de residência com CEP.

Impossibilitado de entrar no mercado de trabalho, Antônio decidiu, mais uma vez, voltar à informalidade e passou a vender água mineral nas ruas do DF. A situação é a mesma que levou os filhos a passarem fome em 2018.