Pandemia transformou contêineres em um dos itens mais procurados do planeta

Aproximadamente 18 meses após o início da pandemia de Covid-19, o transporte marítimo global ainda está em crise.

As 30 mil latas de alumínio deveriam chegar em um contêiner de 20 pés em julho. Meses depois, eles não chegaram — e S.J Hunt, o cofundador da Lavolio, uma confeitaria em Londres, está começando a entrar em pânico.

As caixas feitas sob encomenda, que Lavolio preenche com frutas, nozes e chocolates recheados com geleia, são uma parte importante da marca, e Hunt pagou caro para garantir que eles iriam do fabricante no Leste Asiático para um porto em Suffolk, Inglaterra.

O aluguel de um contêiner de remessa para esta rota normalmente custa a Hunt e a sua parceira Lavinia Davolio entre US$ 1.500 e US$ 2.000. Desta vez, eles tiveram que desembolsar mais de US$ 10.000 — uma grande quantidade de dinheiro para gastar em algo que não chegou.

“Resumindo, tem sido um pesadelo sem precedentes para nós”, disse Hunt.

Aproximadamente 18 meses após o início da pandemia de Covid-19, o transporte marítimo global ainda está em crise, com atrasos surgindo durante o pico do período de compras de final de ano. Uma olhada no mercado de contêineres de aço e fica claro que o retorno ao normal não acontecerá tão cedo.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT