PAS da Praça Barão será reativado para nova zona azul

Caso ocorra como planejada, a zona azul começa a operar a partir de agosto

O PAS (Posto Avançado de Segurança) da Praça Barão de Araras poderá ser reativado para abrigar a central de atendimento da nova zona azul. Nas últimas semanas, as tratativas para restabelecer o estacionamento rotativo pago avançaram tanto na Prefeitura, como na Câmara Municipal.

Caso ocorra como planejada, a zona azul começa a operar a partir de agosto. Até lá, equipes do Demutran (Departamento Municipal de Trânsito) trabalham na sinalização na área central e aplicam mudanças como o estacionamento com vagas em 45º, ambas na Praça Barão de Araras.

clique na imagem e saiba mais

O secretário de Segurança Pública e Defesa Civil, Moisés Furlan, disse que a reativação do PAS que fica atrás da Basílica Nossa Senhora do Patrocínio, precisamente em cima dos sanitários públicos, poderá resolver o problema da segurança pública também.

Desde a desativação e consequente abandono, durante anos munícipes questionam a ausência de segurança atrás da Basílica e solicitam o retorno do PAS. Com a central, a Segurança Pública pretende resolver dois problemas em apenas em uma única cartada.

“A central de atendimento começará a ser montada nos próximos dias. O local passará por manutenção com instalação de computadores para o trabalho dos guardas”, explica Furlan.

A meta da Segurança Pública não é manter apenas uma central na região da Praça Barão, mas outra que está prevista a ser implantada em uma sala que fica no Casarão da Cultura, localizado na Praça Monsenhor Quércia (Calçadão).

A central de monitoramento contará com equipamentos de alta tecnologia, que receberão imagens captadas pelas câmeras já instaladas na Estação Rodoviária Padre João Modesti e Parque Municipal Fábio da Silva Prado (Lago). Outras serão instaladas em demais pontos públicos como a própria Praça Barão e ruas de maior movimento, uma delas a Tiradentes. As câmeras ajudarão na fiscalização da zona azul.

Aliás, a implantação de tal sistema foi confirmada pelo prefeito Pedrinho Eliseu (PSDB) em seu programa de rádio na semana passada. Porém, antes prevista para este semestre, o investimento poderá sair no fim deste ano ou no mais tardar apenas no início de 2018.

PAS foi encerrado com outros criados pela gestão Meneghetti

O PAS que fica atrás da Basílica e que será transformado em central de atendimento da zona azul foi desativado com os demais, todos construídos durante gestão do ex-prefeito Luis Carlos Meneghetti.

Na época, os postos foram muito questionados sobre seu alto custo e pouca utilidade – no total custaram cerca de R$ 600 mil. Os PAS foram alvos de investigação de valores das obras pelo Tribunal de Contas e pela Justiça.

Durante a gestão Nelson Brambilla (PT) chegou a ser cogitado seu restabelecimento, que inclui PAS de alguns bairros, mas a comprovação da ineficácia em manter guardas parados nos locais foi um dos motivos para abortar o projeto.

Aprovado projeto de lei que aumenta número de GCMs

Foi aprovado na sessão da última segunda-feira (3) da Câmara Municipal o projeto de lei do Executivo que cria e extingue cargos da Guarda Municipal. O texto altera lei complementar nº 80 de 19 de janeiro de 2016, que trata do quadro de funcionários da Prefeitura, todos da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Civil.

O projeto aprovado por unanimidade elimina alguns cargos e cria outros com vista para operar e fiscalizar a zona azul, prevista para agosto. Em resumo, foram criadas 40 vagas para gms de terceira classe, passando de 50 para 90 vagas. Para isso, foram extintos 10 cargos de servente masculino e 10 femininos, além do cargo de diretor de Departamento de Serviço Administrativo da Segurança Pública.

Na justificativa encaminhada à Câmara, o prefeito Pedrinho Eliseu (PSDB) disse ser “imprescindível destacar que o aumento pretendido no efetivo leva em consideração a necessidade atual do serviço da Guarda Municipal, bem como o fato de que a implantação da zona azul, aprovada nos termos da Lei Municipal nº 4.988, de 28 de março de 2017, caberá aos Guardas a operação do sistema de estacionamento rotativo e sua fiscalização”.

A votação inclui alteração de outra legislação, a Lei Complementar nº 90 de 2 de dezembro de 2016, que se refere ao Estatuto da Guarda Civil Municipal de Araras. De acordo com a Câmara, a aprovação confirma aumento de 240 para 280 guardas.

Das 40 vagas, apenas 15 serão preenchidas de imediato

O secretário de Segurança Pública e Defesa Civil, Moisés Furlan, explica que apesar da aprovação do projeto de lei que cria 40 novas vagas para guardas de 3ª classe, apenas 15 serão preenchidas de imediato.

A primeira medida após votação foi chamar 15 candidatos, classificados em concurso público em 2015, para assumir as vagas. Ou seja, das 40 criadas, 15 serão preenchidas e outras 25 ficam vagas a serem preenchidas futuramente, caso haja demanda.

“Nove candidatos anteciparam e já estão aptos, pois passaram pelos exames psicológicos e saúde e começam na próxima segunda-feira (10). O demais (seis) passarão pelos procedimentos semelhantes e assumem nas próximas semanas”, explica Furlan.

Porém, os 15 novos guardas podem não assumir os trabalhos nas ruas a partir de agosto, mês previsto para início da zona azul. “A Secretaria Nacional de Segurança Pública obriga que todos passem pelo treinamento, que dura entre três e quatro meses e mínino de 600 horas”, disse.

Enquanto isso, a Segurança Pública readaptou a escala dos atuais guardas para que estes trabalhem na zona azul antes do início dos novos profissionais. “A Segurança vai ter que trabalhar com o que tem hoje. Ao longo do primeiro semestre alteramos escalações dos guardas e estamos dinamizando os guardas para horários que mais precisam. O estudo inclui a análise da troca de sistemas físicos por monitoramento ou troca de guardas por vigilantes”, detalha.

Guardas da zona azul não venderão tíquetes

Furlan explicou qual será a finalidade de cada guarda municipal com início da nova zona azul. “A príncípio, trabalhamos com a necessidade de 15 a 20 guardas na fiscalização”, citou.

Além da fiscalização do trânsito, o objetivo da Segurança Pública é utilizar os mesmos guardas para aumentar a segurança na região central. É preciso deixar claro que os gms não venderão tíquetes para estacionar, nem arrecadarão dinheiro das multas. Eles serão usados exclusivamente para a fiscalização”, esclarece.

Ou seja, o motorista contará com três alternativas para compras do tíquetes sendo pelo aplicativo, que poderá ser baixado para celular, pontos de vendas em estabelecimentos comerciais cadastrados e telefone.

“O guarda não poderá e não receberá multa e se uma pessoa foi autuada, caso não tenha validado o tíquete no tempo de tolerância de 10 minutos, ela precisa resolver a situação em qualquer ponto de venda ou no centro de atendimento que ficará na Praça Barão”, finaliza.

Fonte: Tribuna do Povo