Pastor é preso por maus-tratos após agredir cadela com pedaço de mangueira

Testemunhas filmaram homem batendo no animal com pedaço de mangueira e denunciaram à Polícia Militar. Ele foi preso em flagrante por maus-tratos. Defesa ainda não foi localizada.

Moradores vizinhos à casa do pastor evangélico Thiago Rodrigues, preso em flagrante após agredir a cadela dele com um pedaço de mangueira em Ribeirão Preto (SP), dizem estar aliviados com o resgate do animal.

Uma moradora, que prefere não se identificar, diz que o bicho apanhava com frequência, motivo de revolta na rua. “O cachorro chorava, gritava. A gente escutava o barulho da borracha. Está todo mundo aliviado agora porque o cachorro foi para a ONG. Não vai mais ter mais maus-tratos, vai ter uma vida em paz”, afirma.

Rodrigues foi preso na noite de quarta-feira (9), na casa dele no bairro Adelino Simioni, zona Norte, depois que moradores chamaram a polícia e exibiram um vídeo das agressões cometidas durante a tarde. Nas imagens, um homem aparece batendo violentamente na cadela, que grita no chão.

De acordo com a Polícia Militar, ao ser abordado, Rodrigues admitiu ser ele no vídeo e alegou que bateu na cadela com a intenção de educá-la. Ele foi levado à Central de Polícia Judiciária (CPJ), onde recebeu voz de prisão em flagrante por maus-tratos. A defesa dele ainda não foi localizada para comentar o assunto.

Rodrigues é pastor evangélico, atua em igrejas de Ribeirão Preto e nas redes sociais. Na internet, ele mantém um canal com dois mil seguidores inscritos. O pastor ainda comanda a própria igreja com a realização de três cultos por semana.

Segundo a vizinha, o pastor tinha o hábito de levar a cadela para passear à noite, mas as agressões ocorriam, na maioria das vezes, à tarde. “Tinha semana que ele batia duas vezes. Depois, passava um tempo sem bater. A gente não sabia o que fazer porque via o desespero do cachorro. O pessoal falava para ele parar de bater no cachorro, mas ele fingia que nem escutava.”

Cachorra da raça pastor alemão foi resgatado pela Polícia Militar e por ONG em Ribeirão Preto, SP — Foto: Divulgação/Polícia Militar

Socorro

Ainda segundo a mulher, a polícia chegou a ser acionada anteriormente, mas não pode fazer nada porque não havia flagrante. “Agora, os vizinhos gravaram um vídeo para denunciar e acabar com isso aí”, afirma.

Após o registro da ocorrência na Polícia Civil, a cadela Honda, da raça pastor alemão, foi levada uma clínica veterinária para passar por exames. Uma das autoras da denúncia, Amanda Gonçalves, que é membro de uma ONG de proteção aos animais, diz que nunca tinha visto nada parecido. “A gente não pode admitir uma coisa dessas, uma crueldade com o animal. Quem souber de qualquer abuso, denuncie. Não tenha medo. A Honda aguentou muito, só que eu sei já tem dois meses que ela vem sendo torturada.”

Honda deve ser levada a uma ONG quando receber alta da clínica e, depois, deve ser colocada para adoção. “No aspecto geral, físico, ela está bem. Vamos fazer raio-x da parte traseira, que está um pouco abaixada, a gente sente que ela tem uma sensibilidade. Vamos fazer exame de sangue. Estando tudo ok, vamos castrar e vacinar. Depois, as meninas das ONGs vão escolher um bom adotante para ela”, afirma a médica veterinária Dayse Ribeiro de Oliveira.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT