Penitenciárias do interior de SP têm tecnologia para atendimento médico remoto na pandemia

Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), projeto piloto de telemedicina é aplicado desde março e já foram feitos 126 atendimentos em várias especialidades médicas.

Penitenciárias do interior de São Paulo receberam um projeto piloto de telemedicina para atender os detentos de forma remota durante a pandemia de coronavírus. Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), essa tecnologia garante acesso à saúde com mais segurança.

Na região noroeste, sete unidades prisionais fazem parte do projeto piloto de atendimento virtual, sendo duas na região de Itapetininga: Penitenciária I “Dr. Paulo Luciano de Campos” de Avaré e Penitenciária de Taquarituba.

Penitenciárias da região de Bauru também foram incluídas no projeto, como a Penitenciária I “Rodrigo dos Santos Freitas” de Balbinos, a Penitenciária de Marília e a Penitenciária Feminina “Sandra Aparecida Lario Vianna” de Pirajuí, além das penitenciárias I e II de Serra Azul.

A SAP informou que essas unidades realizaram atendimentos remotos ou têm consultas agendadas para os próximos dias. Segundo a Secretaria, os detentos continuam sendo atendidos presencialmente no Centro Hospitalar do Sistema Penitenciário na capital, mas passaram a ter os retornos de forma remota.

Ainda conforme a SAP, o projeto piloto foi implantado em março e já foram feitos 126 teleatendimentos em várias especialidades, como cardiologia, clínica médica, ginecologia, dermatologia, infectologia, cirurgia plástica e psiquiatria.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT