Perícias médicas do INSS são marcadas para maio; ‘ferido moralmente’, diz beneficiário

Beneficiários relatam descaso e remarcações das consultas para daqui a quase dois meses. Alguns pacientes tentam fazer a perícia desde dezembro do ano passado. Veja situação das agências da região.

A paralisação por tempo indeterminado dos médicos peritos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) iniciada nesta quarta-feira (30) resultou em uma espera ainda maior para os beneficiários da região de Campinas (SP), com consultas sendo remarcadas para fim de maio. São pessoas que dependem do aval dos peritos para começar a receber o auxílio financeiro ou voltar aos seus postos de trabalho.

Até o início da tarde desta quarta, a mobilização dos médicos afetou atendimentos na metrópole, em Sumaré, Americana, Indaiatuba e também em Santa Bárbara d’Oeste, na região de Piracicaba (SP). 

Leonardo Lopes quebrou o pulso direito em dezembro do ano passado e ainda não conseguiu passar por perícia para receber seus direitos. O horário agendado para esta quarta na agência do Centro de Campinas, na Rua Barreto Leme, foi cancelado. A previsão é que ele seja atendido em 19 de maio. “Me pegou totalmente de surpresa. Vim contando com o benefício, devido a remarcação. Saí daqui totalmente chateado e ferido moralmente”, disse. Ele está sem trabalhar e sem receber nenhum tipo de auxílio financeiro desde o acidente que sofreu.

Lúcia Martins é auxiliar de serviços gerais e também foi à agência do Centro após a data da sua perícia ser remarcada. Ficou para o fim de maio a expectativa para receber o benefício. “Complicado, porque eu preciso trabalhar e como que eu faço? Eu pago aluguel, aí eu não recebo nada e não aguento trabalhar”, contou a mulher.

Maria Madalena Santos mora em Americana e trabalha como auxiliar de limpeza, mas uma queda meses atrás deu a ela direito ao benefício do INSS. No entanto, o pagamento foi cortado, e ela precisa passar por uma nova perícia para restabelecer o auxilio. “[Sensação] é de estar ‘esmolando’. Não tem outra explicação. É só esperar… Toda vez remarca. vai quase dois meses de novo. Bom seria se pudesse trabalhar para não precisar, né. Porque contribuir e na hora de precisar… Não tem resposta”, disse a trabalhadora.

“Não tem como transferir para a cidade que a gente mora porque lá também não está atendendo. […] É um gasto, é perder tempo, e não resolve o problema”, disse o esposo de Maria, o pedreiro Daniel Santos.

Cidades com perícias médicas suspensas

Segundo levantamento feito pela nossa reportagem, junto ao sindicato regional dos servidores da Previdência Social (Sinsprev) e em agências da região, a situação das unidades que possuem perícia do INSS e a seguinte:

  • Campinas – adesão parcial
  • Americana – adesão total
  • Sumaré – adesão total
  • Indaiatuba – adesão parcial
  • Santa Bárbara d’Oeste, na região de Piracicaba – adesão total

 

Dez cidades da região não possuem agências do INSS, ou seja, atendimentos e perícias são direcionados para municípios vizinhos, informou o Sinsprev. Com isso, acabam também afetados os moradores dessas dez cidades – Águas de Lindóia, Estiva Gerbi, Holambra, Jaguariúna, Lindóia, Monte Alegre do Sul, Monte Mor, Morungaba, Paulínia e Pedra Bela.

Reivindicações dos peritos

Veja, abaixo, as principais solicitações feitas pela Associação Nacional dos Peritos Médicos Federais (ANMP) ao Ministério do Trabalho e Previdência, em Brasília (DF), que detalham o que eles classificam como “situação degradante da carreira”.

  • Fixação do número máximo de 12 atendimentos presenciais como meta diária.
  • Recomposição salarial de 19,99% para repor perdas de 2019 a 2022.
  • Pontuação automática referente a segurados faltosos.
  • Respeito a agendamentos consecutivos, sem “buracos” na agenda.
  • Distribuição igualitária de agendamentos de perícias entre os médicos de todos os turnos.
CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP