Personal trainer fala que traição com morador de rua foi primeiro surto da esposa e seu casamento continua firme e forte

Morador de rua foi agredido após marido flagrar traição.

O personal trainer que agrediu um homem em situação de rua após flagra-lo mantendo relações sexuais com a esposa falou sobre seu relacionamento. De acordo com ele, a mulher a relação sexual com o morador de rua foi o primeiro surto da mulher. “A vida dela era tranquila, mas a Sandra sempre queria mais. (…) Ela sempre queria algo a mais, nunca estava satisfeita, sempre queria ver mudanças, então, assim, poderia ser um dos fatores. Mas surto mesmo nunca teve, foi o primeiro. E o que o médico me passou foi isso, qualquer pessoa está sujeita a um surto e independente de ter algum agravante ou ter alguma coisa no passado”, afirmou o personal.

Segundo o homem, a esposa está internada em uma ala psiquiátrica. “Ela está sendo tratada, ela segue acordada, porém, sob uso de medicamentos. E nisso ela não está tendo seu senso crítico”, explicou.

Casamento continua

De acordo com o personal trainer, o casamento dele, mesmo após a traição, segue firme e forte. “Meu casamento continua. Tenho certeza disso, eu conheço a pessoa que eu convivi, que eu convivo, no caso. Volto a te explicar, são três anos (de relacionamento), eu a conheço, não é da índole dela”, disse o homem, em entrevista ao Portal Metrópoles.

Na mesma entrevista, porém, ele falou que não era o momento ideal para debater isso. “A questão do meu casamento não é o momento de estar tomando nenhuma decisão, tem que continuar toda essa questão, de amparar ela, porque até eu mesmo tenho confiança nela”, explicou o personal.

Agressão ao morador de rua

O homem continua mantendo a versão de que pensou que a esposa estava sofrendo um abuso e que o objetivo era “preservar a vida da esposa”.

“Independente de ser ou não morador de rua, a cena que eu tive é difícil de explicar”, relatou. Sobre a esposa, ele falou: “Estava em estado de choque. Acho que ela não respondia por si. Ela só ficou daquele jeito, apreensiva”. Veja vídeo da agressão abaixo:

Igreja há pouco tempo

Na conversa com o colunista Leo Dias, do site Metrópoles, o homem afirmou que a mulher havia começado a frequentar a igreja três antes do flagra.

Segundo ele, a esposa não tinha o costume de realizar evangelização e aquela teria sido a primeira.

“Falaram que ela fazia ações, que ela ajudava, mas isso foi divulgado de maneira errônea. Tinha apenas três dias que ela tinha começado a frequentar a igreja. Foi a primeira que ela se dispôs a estar evangelizando”, afirmou o marido.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP