Pesquisa indica que 60% dos brasileiros que fazem terapia começaram na pandemia

No quadro Correspondente Médico, Fernando Gomes falou sobre queixas e alternativas mais procuradas por quem buscou psicólogo durante isolamento.

Por André Rigue, da CNN – Na edição desta quinta-feira (4) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes falou sobre uma pesquisa do Instituto FSB, que revela que 60% dos brasileiros que fazem terapia começaram o tratamento durante a pandemia.

Em primeiro lugar nas queixas de quem buscou ajuda profissional, está a ansiedade. “Estamos mais ansiosos por causa do estímulo do meio externo, sobretudo, as preocupações referentes à pandemia, e todos os assuntos que esbarram nesse problema”, disse o médico.

Veja abaixo as principais queixas e alternativas mais procuradas por quem começou a terapia:

Queixas

  • Ansiedade: 53%
  • Alteração de humor: 42%
  • Insônia: 41%

 

Soluções

  • Meditação: 15%
  • Leitura, escrita: 14%
  • Religiosidade: 8%

 

“São números robustos e que refletem na nossa saúde mental. E as soluções procuradas são como formas naturais de estimular a inteligência, tanto a intrapessoal, principalmente através da meditação, como a inteligência existencial, através da religiosidade”, afirmou Gomes.

“Nenhuma criança pega uma bicicleta e sai andando no dia seguinte. Tudo leva um determinado processo e a meditação também não é diferente”, disse. “Resultados a longo prazo mostram alterações no cérebro, maior estímulo do sistema nervoso, o que reflete em tranquilidade para o corpo físico e combate a ansiedade, com mudança inclusive da própria arquitetura de algumas regiões do cérebro”, completou.

“Entrar num processo meditativo, desenvolver e incorporar isso à rotina não é algo que surge da noite pro dia. Precisa passar pelo processo de aprender como se faz e, principalmente, se predispor a praticar a meditação”, recomendou Fernando Gomes.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT