PF de SP faz operação contra tráfico de animais silvestres e prende “Zé do Bode”, um dos maiores contrabandistas do país

Ação ocorre em 4 estados do país. São cumpridos 14 mandados de prisão preventiva e 17 mandados de busca e apreensão.

A Polícia Federal de São Paulo deflagrou na manhã desta sexta-feira (4) uma operação para desarticular uma quadrilha especializada no tráfico de animais silvestres. A ação ocorre nos estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Paraná e Pernambuco.

Um dos presos, Roberto Augusto Martinez Filho, conhecido como “Zé do Bode”, é apontado por agentes da Polícia Federal e da Polícia Ambiental como um dos maiores traficantes de animais silvestres do Brasil. Ele usa redes sociais para vender animais e já tinha sido preso em agosto do ano passado após ser flagrado com um casal de macacos, mas estava em liberdade.

clique na imagem e saiba mais

São cumpridos 14 mandados de prisão preventiva, 17 mandados de busca e apreensão e 5 mandados de apreensão de veículos automotores nas cidades de São Paulo, Diadema (SP), Jacareí (SP), Mongaguá (SP), Ivinhema (MS), Novo Horizonte do Sul (MS), Aparecida de Goiânia (GO), Curitiba (PR) e Alagoinha (PE).

A operação Urutau 2 é realizada em conjunto com o Ministério Público Federal, Secretaria Municipal do Meio Ambiente de São Paulo, Polícia Militar Ambiental do São Paulo, Polícia Militar Ambiental do Mato Grosso do Sul e o Ibama.

O nome da operação é uma alusão aos urutaus, que são aves exclusivamente noturnas e que utilizam sua plumagem para se camuflar com o ambiente, dificultando a sua localização pelos predadores. A primeira fase da operação ocorreu em 23 de maio de 2019. Na ocasião, nove pessoas foram presas e cerca de 350 animais mantidos em cativeiro apreendidos.

Durante as investigações, foram apreendidos centenas de animais retirados da natureza e mantidos em cativeiros. Eram comercializados animais silvestre em extinção como: arara-canindé, arara-azul, arara-vermelha, ararajuba, jabuti-piranga, jacaré, macaco-prego, sagui de tufos brancos, saíra-pintor e tucano-toco.