Crime aconteceu no dia 6 de setembro em Juiz de Fora. Agressor está preso.

A Polícia Federal pediu prorrogação do prazo para conclusão do segundo inquérito que investiga o ataque ao candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL). De acordo com o documento, enviado à Justiça na quinta-feira (18), o inquérito busca investigar a “participação de terceiros ou grupos criminosos” no atentado ao político.

Jair Bolsonaro após ser esfaqueado durante campanha em Juiz de Fora, Minas Gerais — Foto: Raysa Leite/AFP

O ataque contra Bolsonaro aconteceu no dia 6 de setembro, quando o presidenciável participava de um ato de campanha, em Juiz de Fora, na Zona da Mata de Minas Gerais. O agressor, Adélio Bispo de Oliveira, foi preso em flagrante logo após o atentando e confessou a autoria do crime nas três ocasiões em que foi ouvido pela PF. No 1º inquérito, a PF concluiu que Oliveira agiu sozinho no ataque.

Polícia Federal aponta motivos para pedido de prorrogação de 2º inquérito de Bolsonaro — Foto: Reprodução

No pedido de prorrogação, a polícia alega que precisa de mais tempo para encerrar diligências que apuram “às circunstâncias relacionadas à estada de Adélio na Câmara dos Deputados”; e investigam o apoio de facções criminosas ao agressor e o envolvimento de grupos no atentado.

De acordo com a Polícia Federal, a Justiça ainda não deferiu o pedido.


Aviso: Os comentários só podem ser feitos via Facebook e são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, sendo passível de retirada, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Tem uma sugestão de reportagem? Nos envie através do WhatsApp (19) 99861-7717.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here