Pix agora tem limite de valor à noite e outras medidas de segurança

Devido ao aumento de golpes, o Banco Central decidiu reforçar as medidas de segurança do Pix. Confira as principais.

Lançado em 2020, o Pix é o sistema de pagamento eletrônico instantâneo do Banco Central. Por meio dele, é possível realizar transferências e fazer pagamentos de forma gratuita, em qualquer dia e a qualquer horário.

Além das funções disponíveis atualmente, no futuro novas funcionalidades serão disponibilizadas,  de acordo com o presidente do BC, Roberto Campos Neto. Uma delas é semelhante ao cartão com cashback: o consumidor poderá usar o Pix para pagar suas compras em um estabelecimento e receber seu troco em dinheiro.

No entanto, por não haver limites para pagamentos, o sistema revolucionário se tornou alvo de criminosos, que têm aplicado uma série de golpes. Por esse motivo, a autoridade monetária adotou medidas de proteção, a fim de reduzir a vulnerabilidade do Pix frente às ações criminosas.

Ainda segundo o Banco Central, as normas foram alteradas também para evidenciar a responsabilidade das instituições financeiras por eventuais fraudes decorrentes de erros em seus sistemas de segurança.

Novas medidas de proteção do Pix

Entre as medidas de segurança adotadas pelo Pix, podemos destacar o limite noturno. Confira, abaixo, as principais mudanças que entraram em vigor no dia 4 de outubro de 2021.

Limite noturno

As transações financeiras (transferências e pagamentos) entre pessoas físicas (inclusive MEIs) terão um limite de R$ 1.000 entre 20h e 6h, incluindo cartões de débito, transferências interbancárias e liquidação de TEDs.

Prazo para aumento de limite noturno

O usuário pode solicitar o aumento do limite noturno de transações com meios de pagamento (Pix, DOC, transferências interbancárias, cartão de débito, TED e boleto), porém há um prazo mínimo de 24 horas e máximo de 48 para que a solicitação seja aprovada, impedindo o aumento imediato em situações de risco.

Limites personalizados

Os usuários podem determinar diferentes limites transacionais no Pix nos períodos diurno e noturno, sendo possível estabelecer limites menores à noite.

Cadastro de contatos

É possível fazer o cadastro prévio de contatos que possam receber transações via Pix acima dos limites estabelecidos, o que pode ser bastante útil em casos de emergência.

Prazo para cadastro de contatos

Também há um prazo mínimo de 24h para a validação do cadastro prévio de contatos que possam receber transações via Pix acima dos limites estabelecidos, impedindo o cadastramento imediato em casos de perigo.

Análise de risco

As empresas que “participam” do Pix estão autorizadas a reter uma transação por até 30 minutos durante o dia e 60 minutos durante a noite para efetuar uma análise de risco da operação, desde que o usuário seja informado sobre a retenção.

Exigência de histórico comportamental e de crédito

O histórico comportamental e de crédito é exigido para que as organizações consigam antecipar recebíveis de cartões com pagamento para o mesmo dia (D+0), impedindo que ocorram fraudes.

DICT obrigatório

O mecanismo de marcação no DICT (Diretório Identificadores de Contas Transacionais) agora é obrigatório para contas que tenham vestígios de uso em fraudes no Pix, o que inclui casos de transações efetuadas entre contas da mesma instituição.

Consultas ao DICT autorizadas

Estão autorizadas consultas ao DICT com o intuito de alimentar os sistemas de segurança das instituições, a fim de impedir que ocorram crimes envolvendo a mesma conta em outros meios de pagamento e serviços bancários.

Controles adicionais

É obrigatório que as instituições reguladas adotem controles adicionais sobre fraudes, com reporte para o Conselho de Administração e o Comitê de Auditoria ou, em caso de ausência, à Diretoria Executiva. Além disso, as informações também devem estar à disposição do BC.

Bloqueio cautelar

O banco pode efetuar um bloqueio preventivo de até 72 horas caso haja alguma suspeita de fraude.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP