Planejamento previdenciário e revisão da vida toda – como funciona?

Com o início da jornada no mercado de trabalho, pouco se pensa no futuro. Até porque, planejar parece algo complicado e que demanda tempo.

Por Thaís Penteado – Entretanto, vale a pena investir em uma vida após o trabalho, ou seja, planejar a tão merecida aposentadoria, como qualquer outro passo importante na vida. E apesar de parecer difícil, organização e um bom conhecimento sobre direitos podem ajudar e muito na hora da aposentadoria.

Poder ficar tranquilo e aproveitar os frutos de anos de trabalho árduo é o principal desejo do trabalhador quando os anos passam e a aposentadoria deixa de ser algo tão distante assim. Com base em tempo de contribuição e planejamento qualificado, é possível se manter seguro e ciente de quaisquer direitos eventuais que se possa ter. Uma aposentadoria justa é sim, possível.

A animação de ingressar no mercado de trabalho não pode desviar um bom planejamento para os anos seguintes.

Mas afinal, como funciona o Planejamento Previdenciário e quais são seus benefícios?

Primeiramente, é interessante pensar na recente Reforma da Previdência e como esta trouxe diversas mudanças em cálculos e em requisitos para a aprovação de benefícios. Porém, é justamente a oportunidade perfeita para se comprovar a necessidade de um bom Planejamento Previdenciário. Assim, muitas dúvidas são respondidas e o trabalhador permanece assegurado e ciente de seus direitos. De acordo com o advogado Willian Daniel Cassiano, do escritório ADVOCACIA CASSIANO, cada trabalhador merece uma análise precisa e eficaz de seus direitos: “É necessário avaliar cada caso com cuidado para poder verificar o que a pessoa pode ganhar com o Planejamento Previdenciário. Infelizmente, ainda é comum trabalhadores não saberem de direitos garantidos por lei, que permitam sua aposentadoria, seja especial ou comum, por exemplo”. Além do mais, um bom planejamento evita quaisquer erros de documentação ou até mesmo falhas eventuais. Ciente de sua própria situação, o trabalhador consegue se prevenir e garantir que sua aposentadoria seja a mais tranquila possível.

Quando a aposentadoria está próxima, a última coisa que se quer são complicações que adiem esse momento tão aguardado na vida de qualquer trabalhador. Por sorte, há caminhos possíveis que podem garantir a segurança e tranquilidade. E o meio mais fácil e prático de se conseguir, é justamente se assegurando de um bom Planejamento Previdenciário. Planejando, é possível saber o tempo de contribuição, documentação necessária, direitos específicos de algumas profissões, entre outros direitos que o trabalhador possa não saber e deixar de ter em sua vida.

Um exemplo classico: trabalhador descobre no momento de aposentar, que varios anos de trabalho que ele possui registrado na carteira de trabalho, não esta sendo contado pelo INSS, isso pode levar anos pra se resolver na justiça. O que poderia ter sido visto antes com o PLANEJAMENTO.

Ainda segundo o advogado Willian Daniel Cassiano, trabalhadores autônomos precisam ficar atentos tanto quanto os registrados: “O Planejamento Previdenciário serve para todo o tipo de trabalhador. É importante discutir, analisar e estar ciente de quaisquer problemas que podem afetar o momento da aposentadoria. Por falta de planejamento, algo teoricamente simples pode demorar mais e complicar a vida do interessado em se aposentar”, ressalta.

Outro benefício importante para se ter conhecimento é a Revisão da Vida Toda, para pessoas já aposentadas há menos de 10 anos. A Lei 9.876 de 26 de novembro de 1999 garante o direito dos valores de contribuição a partir de julho de 1994, ou seja, é especificamente voltada para segurados que contribuíram anteriormente a esta data.

Novamente, com a Reforma Previdenciária foi decidido que é possível calcular a média de todas as contribuições a partir da data de julho de 1994. Sendo assim, a Revisão vem com a intenção de calcular as contribuições anteriores a 1994.

Com a possibilidade da Revisão, o aposentado pode ter um ganho significativo na renda mensal, alem de receber os valores atrasados dos últimos 5 anos.

Com base nas contribuições do aposentado, é possível compreender se há a possibilidade do direito ou não: “É importante que o aposentado verifique sua real situação de aposentadoria com base na Revisão da Vida Toda para que justamente não perca a chance de garantir seus direitos, já que é possível o reajuste entre 20% a 90% dependendo do caso”, acrescenta o advogado Willian Daniel Cassiano.

Para tirar mais dúvidas consulte um advogado especialista e guarde documentos para que qualquer Planejamento Previdenciário seja mais fácil.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT