Polícia Civil cogita que soldado Leandro pode ter sido jogado em caçamba

Possibilidade de PM ter sido enterrado em Heliópolis, próximo de onde ele foi visto por último, também é investigada pela polícia.

Investigadores da Polícia Civil atuam com duas possibilidades para localizar o soldado da Polícia Militar Leandro Patrocínio: a primeira seria deel ter sido jogado em uma caçamba de lixo, enquanto a segunda indica que pode ter sido enterrado na área de mata nos arredores da comunidade do Heliópolis, na zona sul de São Paulo (SP), região onde ele foi visto por último em imagens de câmera de segurança da estação Sacomã do Metrô. As informações são da Record TV.

A polícia também atua em duas possibilidades para o que tenha originado o crime. Conforme as investigações, os criminosos podem ter visto o policial em um bar e acharam que ele estava fazendo alguma investigação no local ou ainda ter havido algum desentendimento entre o PM e outra pessoa e, na confusão, ele ter se identificado com militar.

A Polícia Militar realiza nesta quinta-feira (3) a Operação Sufoco, durante o quinto dia de buscas pelo soldado na comunidade do Heliópolis. Durante as buscas, uma pessoa foi baleada na região do Sacomã, próximo à comunidade, após suposto confronto com policiais do COE (Comando de Operações Especiais), que também atuam nas buscas.

A polícia recebeu uma denúncia de que o corpo do soldado estaria enterrado na comunidade. Equipes da PM fizeram um cerco tático na comunidade, com presença em todas entradas da maior favela de São Paulo.

A Operação Sufoco, segundo a Polícia Militar, tem como objetivo impedir a entrada e saída de drogas da região. A estratégia é para causar prejuízo para o crime organizado que atua na comunidade, a fim de forçar os líderes que comanda o tráfico de drogas a entregar os responsáveis pelo desaparecimento do soldado.

Jornal da Record mostrou com exclusividade, na quarta-feira (2), o quarto de uma casa vazia no meio da comunidade, que pode ter servido como cativeiro para o policial militar. A reportagem entrou no imóvel e encontrou muita sujeita, roupas, garrafas de bebidas e embalagens vazias de cocaína.

A perícia, que também esteve no local, encontrou vestígios de sangue nas paredes e no chão. No banheiro, os policiais localizaram, dentro do vaso sanitário, um relógio idêntico ao usado por Leandro no dia em que desapareceu.

A polícia segue, nesta quinta-feira, as buscas pelo soldado na comunidade do Heliópolis. Cães farejadores e até uma retroescavadeira são usados na tentativa de localizar o soldado.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT