Polícia Civil fecha o cerco contra estelionatário em Limeira, SP

Anúncio

A ação foi realizada pelos policiais civis da DIG e GARRA.

Um aposentado, de 53 anos, assumiu a identidade de um jovem de 34 anos. A descoberta foi feita por policiais civis da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra), após quatro meses de investigação.

A apuração do caso teve início depois que Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) pediu prova de vida ao aposentado. Ele forneceu, entre as informações, sua digital e, posteriormente, os dados foram confrontados com outros banco de dados do governo e foi descoberto que a mesma impressão digital estava na CNH de um jovem chamado Felipe, mas que a foto no documento era a do aposentado O.F.B..

Diante da suspeita, o caso foi informado à DIG que passou a apurar a estranha situação. Os policiais começaram a levantar dados e descobriram que o aposentado assumiu totalmente a identidade do mais jovem. Prova disso foi que ele já até fez boletim de ocorrência como sendo Felipe por extravio de documento.

Com auxílio da muralha digital, os investigadores descobriram o automóvel que ele usava e também três endereços, que foram comunicados à Justiça em pedido de mandado de busca e apreensão.

O Poder Judiciário autorizou as buscas e, ontem, numa pequena operação, os policiais visitaram todos os endereços do aposentado e conseguiram localizá-lo no Residencial Morada das Acácias. Na residência, os investigadores se surpreenderam com a quantidade de documentos que o aposentado tinha no nome de Felipe.

Foram apreendidos CNH, crachá de empresa, certidão de nascimento, carteira de trabalho, dezenas de cartão de crédito, carteirinha do SUS, título de eleitor e até documentos de abertura de empresa no nome do rapaz. Até o carro que ele usava foi financiado com os documentos falsos.

JUSTIFICATIVA

Aos policiais, o aposentado informou que tem diabetes e, por conta da aposentadoria, não poderia ter outra renda, por isso, assumiu a identidade do mais jovem, que ele conheceu há algum tempo quando atuou como treinador de time de futebol e recebeu a documentação de Felipe, que reside em outro estado.

O delegado Siddhartha Carneiro Leão, que responde interinamente pela DIG, determinou a qualificação dele e a apreensão de todos os documentos. O aposentado responde em liberdade por falsificação de documento público.