Polícia Civil investiga cuidadora de idosos e marido suspeitos de furtar R$ 300 mil de patroa

A dupla, que chegou a ser presa em flagrante, agiu mediante ‘abuso de confiança’ para conseguir procurações, cheques assinados e empréstimos bancários. Foram recuperados veículos e parte do dinheiro.

A Polícia Civil de Lins (SP) investiga um casal suspeito de enganar e furtar uma idosa de 85 anos, para quem a suspeita trabalhava como cuidadora. Os dois foram presos em uma operação deflagrada nesta quarta-feira (12) e, para a polícia, o homem de 43 anos e a mulher de 53 agiram mediante “abuso de confiança” para cometer crimes contra o Estatuto do Idoso e de estelionato.

Porém foram liberados após audiência de custódia nesta quinta-feira (13) e vão responder processo em liberdade. Equipes da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) da cidade prenderam o casal em sua residência, na Rua Rio Branco, durante o cumprimento de mandado de busca e apreensão.

clique na imagem e saiba mais

A ordem judicial foi expedida após investigação especializada indicar que a dupla estaria movimentando a conta bancária da idosa usando uma procuração que fora obtida mediante abuso de confiança. A polícia estima que cerca de R$ 300 mil teriam sido movimentados.

Na casa do casal, os agentes localizaram dois veículos, R$ 6 mil em dinheiro, uma arma de pressão, brincos, anéis, escrituras e registros de imóveis em nome de terceiros, além de vasta documentação em nome da idosa, como cartões bancários, cheques preenchidos, entre outros. Também foram localizados contratos de empréstimos bancários tendo como contratante a vítima e como beneficiários a dupla.

Na casa da idosa a polícia encontrou documentos que comprovam o abuso financeiro cometido pela dupla. Também apreendeu um veículo em nome do suspeito que a vítima pensava ser seu, além de R$ 7 mil em dinheiro escondidos atrás de uma gaveta que a idosa não tinha conhecimento.

Questionados separadamente, o homem confessou parcialmente o crime, enquanto sua companheira o acusou de ser o responsável por todo o delito. A vítima, por sua vez, disse que o rapaz lhe oferecia ajuda com os negócios financeiros e não aceitava salários, pois alegava trabalhar fora.

Os bens e documentos foram apreendidos e os veículos, assim como cartões bancários, foram devolvidos à vítima. O dinheiro achado na residência do casal, bem como R$ 6,4 mil localizados na bolsa da suspeita, o qual ela não soube informar a origem, também foram recolhidos. O casal foi indiciado por apropriar-se de bens de idoso, induzir a outorgar procuração e estelionato.