Polícia Civil investiga denúncia de estupro de adolescente após festa em república de estudantes no interior de SP

Anúncio

Segundo registro policial, jovem de 17 anos se recorda de que foi para a casa de um rapaz e perdeu os sentidos; quando acordou, ela estava nua na cama dele. 

A Delegacia de Defesa da Mulher está investigando a denúncia de um estupro de uma adolescente de 17 anos após uma festa de república, no domingo (19), em Botucatu (SP).

De acordo com o boletim de ocorrência, a jovem foi para uma festa perto da Fazenda Lageado, onde conheceu um rapaz e os dois começaram a conversar. Durante a festa, a vítima saiu para comprar água e o rapaz foi junto e comprou bebida alcoólica.

Ainda segundo o registro policial, a adolescente ingeriu um pouco da bebida e depois não se lembra como voltou para festa. Depois disso, no BO consta que a vítima se recorda de que foi para a casa do rapaz, onde passou mal e perdeu os sentidos.

Quando acordou, segundo o registro, ela estava nua na cama do rapaz, que também estava nu ao lado dela. Após recobrar os sentidos, a jovem retornou para a festa e, em casa, ela contou para a irmã o que tinha acontecido.

Na Polícia Civil, o delegado pediu exame de corpo de delito para saber se a jovem foi vítima de violência, pois ela não se lembra se houve relação sexual.

Segundo a delegada da DDM, o rapaz se apresentou na delegacia e disse que não se lembra direito do que aconteceu. Ele é maior idade e está sendo tratado como suspeito pela polícia até a divulgação do laudo do Instituto Médico Legal (IML).

 

Investiga estupro coletivo

A Polícia Civil, através da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), também está apurando uma denúncia de estupro coletivo contra uma jovem de 19 anos em Botucatu.

Segundo o boletim de ocorrência, a Guarda Civil Municipal estava na Praça do Bosque na madrugada de segunda-feira (27), onde estava sendo realizado um evento musical gratuito, quando ouviu gritos e choros vindos do Mercado Municipal.

Quando a equipe chegou no local, ainda segundo o BO, a jovem contou aos guardas que tinha sido violentada sexualmente por quatro ou cinco homens no estacionamento do mercado.

De acordo com a polícia, ela se lembra de ter ingerido bebida alcoólica e ter sido abordada por um homem, que a convidou para se afastar da festa. Mas chegando no estacionamento, a vítima relatou à polícia que foi violentada pelo grupo.

Segundo o registro policial, a vítima se recorda dos homens passando a mão nas partes íntimas dela, abaixando o shorts que ela vestia e que teria gravado os atos com o celular. No entanto, ela não se lembra se foi forçada a realizar conjunção carnal.

A vítima reclamou de dores na região pélvica e pelo corpo e foi encaminhada para o Hospital das Clínicas pelo Samu. Segundo relato da vítima à polícia, ela não foi agredida, mas tinha manchas de tinta vermelha na pele, que, segundo ela, foi jogada pelos autores.

A polícia fez rondas na região, mas os suspeitos ainda não foram localizados. Um exame de corpo de delito foi requisitado e a DIG segue investigando o caso.