Polícia Civil investiga outras 30 possíveis vítimas de anestesista que estuprou gestante

PUBLICIDADE

Delegada afirmou que recebeu relatos e que ainda haverá uma apuração sobre as afirmações; Giovanni Quintella Bezerra foi preso e encontra-se no Complexo de Bangu, no Rio de Janeiro.

A Delegacia de Atendimento à Mulher de São João de Meriti, Bárbara Lomba, revelou nesta quinta-feira, 14, em conversa com jornalistas que a Polícia Civil do Rio de Janeiro investiga outros 30 possíveis estupros cometidos pelo anestesista que abusou sexualmente de uma gestante durante seu parto. “São relatos ainda, precisamos investigar”, afirmou. Um hospital em Mesquita, na Baixada Fluminense, informou que o profissional de saúde atuou em mais de 20 cirurgias.

PUBLICIDADE

No momento, investigadores buscam informações se Giovanni Quintella Bezerra utilizou medicamentos anestésicos desnecessários ou em excesso nas pacientes. “Toda essa ação criminosa é repugnante, é algo que não imaginávamos que pudesse acontecer”, acrescentou. Bárbara também disse que duas possíveis vítimas irão prestar depoimento nesta quinta e que ambas foram operadas antes do dia 10 de julho, ou seja, das imagens que viralizaram na internet em que Giovanni estupra uma gestante. “Já temos informações de que elas foram sedadas também, possivelmente desnecessariamente”, pontuou.

PUBLICIDADE
CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP