Polícia Civil investiga sequestro de Raimundo Veras, encontrado morto com 10 tiros em Campinas, SP

O setor de inteligência da Polícia Civil de Araras (SP), desde o registro do desaparecimento segue investigando o caso que foi registrado na manhã de sábado (9), no Jardim Esplanada. 

A Polícia Civil de Araras (SP), através do setor de inteligência está investigando o sequestro de um homem de 39 anos, que foi encontrado morto com ao menos 10 tiros em Campinas (SP), depois de três dias desaparecido.
 
De acordo com informações, imagens de uma câmera de segurança, registra o momento em que ele foi abordado por pessoas que ocupavam um Jetta de cor branca.
 
Raimundo figura como autor em um Boletim de Ocorrência elaborado em Fevereiro deste ano, de estupros de vulneráveis ocorrido anos atrás, em procedimento investigativo junto a Delegacia de Defesa da Mulher.
 

O fato vem sendo, até agora, a principal motivação para o arrebatamento da vítima Raimundo e ponto essencial das Investigações. Até o fechamento desta reportagem nenhum suspeito havia sido identificado ou preso.

Encontro do corpo

Na noite de terça-feira (12), a Polícia Militar foi acionada para atendimento de uma ocorrência pelo Jardim Telesp, em Campinas (SP). De acordo com informações, um carro um carro da cor preta estava passando pela Rua Antônio Vicente Levantezi quando um homem foi colocado para fora do veículo e alvejado por disparos de arma de fogo. O GRAU do resgate esteve no local e constatou o óbito.
 
A PM ficou preservando o local até a chegada da perícia científica que realizou os trabalhos técnicos e logo depois a SETEC também foi para recolher o corpo e levar para o IML – Instituto Médico Legal. O caso foi registrado no plantão policial, e na manhã desta quinta-feira (14), confirmou-se se tratar de Raimundo Pereira da Silva Veras, de 39 anos, que está desaparecido deste o último final de semana em Araras (SP). Acompanhe abaixo a reportagem do Barba Azul, que esteve no local do crime.
 
 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Barba Azul (@barbaa_azul)

Familiares

Segundo depoimentos de seus familiares mais próximos, Raimundo não deu qualquer indicativo de anormalidades em sua rotina nas últimas semanas, exercendo normalmente seu oficio de pedreiro junto a empresa onde trabalha, nos municípios de Holambra (SP) e Piracicaba (SP), bem como, segundo sua esposa, não possuía qualquer tipo de dívida e/ou desentendimentos.

O caso passa a ser investigado pelo DHPP – Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa, juntamente com o SIG – Setor de Inteligência da Polícia Civil de Araras.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP