Polícia Civil localiza carro que teria atropelado mulher após queda de moto no interior de SP

Colisão com carrinho de sucata causou queda de Larissa Karolyne Furlan de Souza no dia 3 de agosto. Ela foi atropelada por um carro e morreu. Motorista fugiu sem prestar socorro.

A Polícia Civil de Araraquara (SP) localizou o veículo que teria atropelado uma mulher de 23 anos em 3 de agosto, na Avenida Abdo Najm, via de acesso à Rodovia Antônio Machado Sant’Anna (SP-255). Larissa Karolyne Furlan de Souza e o marido estavam em uma moto que colidiu contra um carrinho de sucata.

Com o impacto, ela caiu e foi atropelada por um carro que passava. O motorista fugiu sem prestar socorro. Ela não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

clique na imagem e saiba mais

Investigação

Por meio do depoimento de testemunhas e de imagens de câmeras de monitoramento da Guarda Civil Municipal, a Polícia Civil encontrou o veículo em uma casa, no Jardim Morumbi. Segundo o delegado responsável pela investigação, Antônio Carlos da Silva, o carro tinha sido lavado e estava descaracterizado.

“Com o auxílio do luminol, produto químico que reage em contato com o sangue, foi possível localizar marcas de sangue em diversas partes do veículo, inclusive na roda”, explicou Silva.

Um homem de 29 anos, dono do veículo, teria dito em depoimento que o carro estava em uma oficina mecânica no dia do atropelamento e que no momento do acidente estava com um amigo, de 30 anos, em casa. Os dois são os principais suspeitos do atropelamento.

Segundo o delegado, a versão não convenceu os investigadores e o Ministério Público, que chegaram a pedir a prisão do dono do veículo, mas o pedido foi negado pela Justiça.

As investigações também apontam que a vítima estava viva quando foi atropelada e que o corpo de Larissa teria ficado preso no carro e que o motorista teria passado diversas vezes sobre ela na tentativa de desprender o corpo.

O delegado explicou que os trabalhos de investigação seguem. “É importante que as pessoas saibam que não é possível se evadir do local do acidente sem ser localizado.”

O caso é investigado como homicídio doloso, quando há intenção de matar, por motivo fútil e tentativa de obstrução do trabalho de investigação. (Com informações do Portal ACidade ON Araraquara)