Polícia Civil prende assassino da menina Ester, de 4 anos, morta com um tiro em briga por vaga de garagem

Bruno Freitas é parente da família, vizinho e protagonizava disputa por vaga de estacionamento desde 2018 com o pai da menina. Ele foi preso nesta sexta-feira (16), em São Vicente.

A Polícia Civil capturou nesta sexta-feira (16) o assassino da menina Ester, morta aos 4 anos no último domingo (11) com um tiro no peito em Santo André, no ABC Paulista, em uma briga por vaga de garagem. Bruno Freitas, conhecido como Brunão, foi localizado em São Vicente, litoral de São Paulo. A prisão ocorreu por volta das 15h, na Avenida Brasil, no bairro Vila Margarida. No local onde o suspeito estava escondido, foram localizadas peças de motos roubadas.

De acordo com a polícia, ele foi preso pela equipe de investigação do 5º DP de Santo André, com apoio de policiais da Delegacia Sede de São Vicente, onde será registrado o boletim de ocorrência da captura. Ele será encaminhado para Santo André, para o prosseguimento das investigações.

Segundo a Polícia Civil, os investigadores chegaram até São Vicente porque estavam monitorando as transações bancárias do assassino, e viram que ele recebeu um PIX de uma mulher que mora na Vila Margarida, e que essa mulher seria mãe de um amigo dele.

O crime que vitimou Ester aconteceu quando a menina chegava em casa com o pai, a mãe e mais três crianças da mesma família, e o carro em que eles estavam foi abordado por Bruno Freitas, um vizinho da família.

O homem saiu de casa, atirou várias vezes contra a família e fugiu. Ester de Oliveira levou um tiro no peito. O pai dela também foi atingido, ficou ferido e ainda assim a socorreu até a Santa Casa de Santo André, mas não deu tempo de salvá-la. O corpo dela foi velado na tarde desta segunda-feira (12).

De acordo com as investigações, o crime foi motivado pela briga por uma vaga de garagem, que começou em 2018. “Os fatos ocorreram por causa de desavenças antigas. Já havia um histórico de brigas entre as partes. Inclusive a vítima disse que já tinha sido ameaçada de morte pelo autor”, disse a delegada Natalie Rodrigues, que investiga o caso, registrado como lesão corporal, tentativa de homicídio e homicídio.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT