Polícia Civil prende três pessoas em operação contra tráfico e exploração sexual de crianças na região de Campinas, SP

Operação também acontece em outras regiões de SP, além de MG, RJ e RS.

Policiais civis do Departamento de Polícia Judiciária São Paulo Interior 2 (Deinter-2), com sede em Campinas (SP), cumprem 20 mandados de busca e apreensão contra tráfico e exploração sexual de crianças em nove cidades na manhã desta quarta-feira (25). Até as 13h, três suspeitos de pornografia infantil foram presos em flagrante.

Os municípios onde os mandados estão sendo cumpridos são: Campinas, Indaiatuba, Atibaia, Jarinu, Jundiai, Valinhos, Cabreúva, Mogi Mirim, Vinhedo, que pertencem à área de abrangência do Deinter-2 – seccionais de Campinas, Bragança, Mogi Guaçu e Jundiaí. Um total de 80 policiais em 26 viaturas estão na ação.

Policiais civis localizam materiais criminosos em operação contra tráfico e exploração sexual de crianças em SP — Foto: Polícia Civil Deinter-2/Divulgação

Prisões

A localização de materiais criminosos de pornografia infantil nos endereços resultaram nas três prisões em flagrante, uma registrada em Campinas, no 6º Distrito Policial, e as outras duas em Jundiaí.

clique na imagem e saiba mais

Também há um preso em Valinhos por ter porte de anabolizantes, que ainda está sendo investigado sobre relação com pornografia infantil. Computadores, telefones celulares e arquivos digitais, como pendrives e mídias, com imagens de menores de idade foram apreendidos.

Material apreendido no interior de SP na operação da Polícia Civil contra tráfico e exploração sexual de crianças — Foto: Polícia Civil Deinter-2/Divulgação

Mais cidades

Na região do Deinter-9, com sede em Piracicaba (SP), os mandados estão sendo cumpridos nas cidades de Casa Branca, Piracicaba , Americana, Monte Mor, Rio Claro, Hortolândia, Brotas e Pirassununga. 

O número de mandados de busca e apreensão nessas cidades ainda não foi divulgado. A Operação também tem alvos em outras regiões de SP, além dos estados de Minas Gerais, Rio Janeiro e Rio Grande do Sul.

Os materiais apreendidos serão encaminhados para as delegacias de cada área e depois serão transferidos para o Deinter-5, localizado em São José do Rio Preto (SP), de onde partiu a investigação.

Local onde foi cumprido mandado de busca e apreensão na operação contra tráfico e exploração sexual de crianças no interior de SP — Foto: Polícia Civil Deinter-2/Divulgação

Investigação desde 2018

A operação, denominada “Black Dolphin”, começou em 2018, quando os policiais descobriram um homem que pretendia vender a sobrinha para criminosos na Rússia. O plano dele, segundo as investigações, era levar a criança para a Disney da Europa e entregá-la aos criminosos na Rússia, alegando que ela teria desaparecido no parque.

A Polícia Federal de São Paulo também atua no caso. A partir desse suspeito, os policiais começaram a monitorar a deep web, e descobriram uma rede de criminosos sexuais, principalmente infanto-juvenis, que produzem, vendem e compram vídeos de crianças em situações de vulnerabilidade sexual.

De acordo com a Polícia Civil, foram realizadas infiltrações em mais de 20 comunidades na deep web e encontrados mais de 10 mil contas de email, além de cinco nuvens exclusivas com imagens de abusos infantis em países do leste europeu.

“Black Dolphin” é o nome de uma prisão russa, considerada uma das mais temidas do mundo. Segundo a investigação, um dos chefes da organização, descoberto em 2019, dizia que as leis brasileiras são “ridículas” e no Brasil não haveria prisão para segurá-los, e apenas a “Black Dolphin” poderia detê-los..

Ao todo, são cumpridos dois mandados de prisão – um em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, e outro em uma cidade do Rio Grande do Sul -, além de 219 mandados de busca e apreensão em 85 cidades nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. (Com informações do G1 Campinas e Região)