Polícia Militar Ambiental auxilia no resgate de onça-parda encontrada ferida na zona rural de Araras, SP

O animal foi capturado, examinado e após constatado o ferimento, foi encaminhado à Associação Mata Ciliar.

A Policia Militar Ambiental foi acionada na manhã deste sábado (4), para resgatar uma onça-parda (macho) de aproximadamente 3 anos, que estava ferida às margens de uma estrada rural, na região da Fazenda Campo Alto, no município de Araras (SP).

Apoio ao Corpo de Bombeiros e representantes da Associação “Mata Ciliar”.

Segundo informado no registro da ocorrência, “foi procedido pela equipe da Polícia Militar Ambiental, composta pelo cabo Gulinelli e soldado Colombo, em apoio ao Corpo de Bombeiros, equipe composta pelo sargento Franzin, cabo Osvaldo e cabo Waddington e representantes da Associação “Mata Ciliar”, especializados em felinos de grande porte, o resgate de uma onça-parda, com estimativa de três anos, a qual foi atropelada e encontrava-se às margens de uma estrada vicinal da Fazenda Campo Alto.

Dessa forma, o animal foi capturado, examinado e após constatado o ferimento, foi encaminhado à Associação Mata Ciliar, localizado no município de Jundiaí, para acompanhamento médico veterinário e posteriormente ser solto em seu habitat natural”.

ASSISTA AO VÍDEO DO RESGATE:

Sobre a onça-parda

A onça-parda ou puma, também conhecida no Brasil por suçuarana e leão-baio, é um mamífero carnívoro da família dos felídeos e gênero Puma, nativo da América. Foi originalmente classificada no gênero Felis, mas estudos genéticos demonstram que a espécie evoluiu em uma linhagem próxima à chita e ao gato-mourisco. 

A caça e a alteração do habitat, com conseqüente redução da disponibilidade de presas, são as principais ameaças à sobrevivência da onça parda. Por exemplo, os efeitos sinergísticos da perda do habitat e da caça influenciam negativamente as populações em fragmentos de floresta Amazônica (Michalski & Peres 2005; Michalski et al. 2006). É classificado pela IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza) como uma espécie “Menos preocupante” e pelo ICMBio-MMA “Vulnerável”.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT