Polícia Militar Ambiental faz operação para coibir crimes ambientais no interior de SP

Ação será realizada até quarta-feira (2) e vai marcar a semana do Meio Ambiente.

Policiais militares ambientais da 7ª Companhia do 1° Batalhão de Polícia Militar Ambiental, sob o comando do capitão Ilgges e do tenente Ivo, realizam nesta semana a operação Gaia, para prevenir crimes ambientais nas cidades de Rio Claro, Pirassununga e São João da Boa Vista, no interior de São Paulo.

Ação que vai acontecer entre esta segunda-feira (31) e quarta-feira (2) marca a semana do Meio Ambiente, com emprego de sete viaturas terrestres e dezesseis policiais, com a finalidade de apoiar a participação da comunidade na preservação do patrimônio natural do país, promovendo ações de proteção e restauração de ecossistemas, como o plantio de árvores, para tornar as cidades mais verdes.

O objetivo da operação é coibir infrações ambientais, bem como, promover ações ligadas à restauração ecológica por meio da fiscalização do cumprimento dos Termos de Compromisso de Recuperação Ambiental (TCRA), firmados entre os autores do dano ambiental com a Polícia Ambiental e a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo.

A Operação denominada de “Gaia” sugere que os seres vivos são capazes de modificar o ambiente em que vivem, tornando-o mais adequado para sua sobrevivência. Dessa forma, segundo a polícia, a Terra seria um planeta cuja vida controlaria a manutenção da própria vida através de mecanismos de feedback e de interações diversas.

“Atacar as Florestas significa atentar contra a vida do ser humano, visto que destrói fontes de água doce e com elas, tanto a fauna quanto a flora são afetadas. O desflorestamento fragiliza o solo, expondo-o à erosão, e também leva ao aumento da temperatura, além de outras consequências negativas. Assim, também sofrem os animais silvestres, pois muitos dependem das florestas para assegurar sua sobrevivência”, diz o comunicado divulgado pela PM.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT