Polícia Militar Ambiental resgata onça pintada mantida em cativeiro no litoral de SP

Dezenas de outros animais silvestres foram encontrados em péssimas condições de higiene e alimentação; um homem foi preso e multado em mais de R$ 1 mi.

A Polícia Militar prendeu, na noite de quinta-feira (9), um homem, de 29 anos, que foi surpreendido mantendo dezenas de animais, inclusive silvestres, em cativeiro. Onça, cobras, jabutis, camundongos, ratos, patos e outros animais foram resgatados na casa do suspeito, no bairro Estancia São Jose, em Peruíbe – litoral sul de São Paulo.

Os trabalhos foram realizados por uma equipe da 1ª Companhia do 3º Batalhão de Polícia Ambiental (BPAmb) que, em ação conjunta com o Policiamento Rodoviário, na Avenida Padre Manuel da Nóbrega, no bairro Aviação, em Praia Grande, realizou a abordagem a um veículo que transportava 61 jabutis de forma ilícita causando maus tratos aos animais. Na ocasião, a mulher que conduzia o carro foi autuada.

A ocorrência foi apresentada na delegacia do município e verificando que se tratava de pessoa com indícios da prática de tráfico de animais, foi requisitado mandado de busca na casa da suspeita, que foi prontamente atendido pelo Poder Judiciário. Na noite do mesmo dia, os militares foram até o imóvel alvo para cumprimento da ordem.

Durante vistoria no local, os policiais localizaram uma jibóia dentro de uma caixa e uma pyton dentro de uma mala velha, além de mais sete pytons espalhadas pelos cômodos, uma onça pintada juvenil, três filhotes de pato, cinco jabutis, 30 camundongos e 30 roedores, cinco marrecos, dois cães, um garnize e dois pombos correios. 

O homem responsável pelo local admitiu realizar o comércio dos animais nativos e exóticos, obtendo vantagem pecuniária. Para resgate dos animais foi necessária uma força-tarefa composta pelos militares especializados, biólogos veterinários, policiais civis e técnicos científicos. Dois cães, duas pombas correio e um garnize foram entregues à mãe do suspeito.

Os demais animais foram depositados a uma instituição local que é centro de referência no tratamento de animais abandonados ou que sofreram maus tratos. Todos aparentavam estar estressados e malnutridos, além de estarem em condições precárias de alojamento, higiene, alimentação e acesso à água.

Foram elaborados Autos de Infrações Ambientais (AIAs), conforme resoluções da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (Sima), com multas que somaram mais de R$ 1 milhão. Na área dos fatos também foram encontrados dois celulares, que foram apreendidos para perícia, e três crianças, que foram acompanhadas pelo Conselho Tutelar.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT