Polícia Militar apreende remédios vendidos irregularmente e detém uma pessoa em Campinas, SP

Homem confessou que comercializava os medicamentos, além de receitas e atestados. 

A Polícia Militar apreendeu, na noite de segunda-feira (23), aproximadamente 300 medicamentos que seriam vendidos de maneira irregular em uma casa no Jardim São José, em Campinas (SP). A Polícia Militar chegou ao local por meio de denúncia anônima.

Um homem de 56 anos confessou que comercializava os produtos e foi encaminhado à delegacia, mas liberado após prestar depoimento. A corporação ainda encontrou na residência talões de receitas, carimbos de médicos e R$ 1,5 mil em dinheiro.

clique na imagem e saiba mais

Os remédios apreendidos na casa são usados em vários tipos de doenças, incluindo transtornos mentais e de ansiedade, que têm uso controlado. Também foram encontrados medicamentos receitados para o tratamento de pacientes com Covid-19, como ivermectina e azitromicina. A Polícia Militar chegou ao local por meio de denúncia anônima.

Além dos carimbos e receitas com nome e número do registro do Conselho Regional de Medicina (CRM) de médicos que supostamente trabalham no Pronto Socorro do São José e no Hospital Municipal Ouro Verde, a corporação também apreendeu atestados e documentos com o brasão da Prefeitura de Campinas.

Segundo a polícia, o homem guardava folhas de rascunho onde anotava o horário dos plantões dos médicos das duas unidades e confessou que realizava a venda baseado neste cronograma. As receitas e atestados eram comercializados por R$ 50, já o valor dos remédios variava de acordo com o tipo de cada um dos produtos.

O material foi apreendido e encaminhado para a perícia. O caso será investigado pela 2ª Delegacia Seccional de Campinas. A polícia ainda não sabe qual era a procedência dos medicamentos. “Pode ser um laboratório clandestino, pode ser falsificado, ele pode ser receptador de algum roubo de carga também”, disse o sargento da Polícia Militar Fábio Leão.

O indivíduo que não teve seu nome revelado até o fechamento desta edição, deverá responder pelo crime de receptação de produto roubado, tráfico de drogas e crime contra a saúde pública. (Com informações do G1 Campinas e Região)