Policiais militares doam sangue para vítimas do acidente no interior de SP

O local estava com os estoques em níveis críticos, assim como os demais bancos de sangue do Estado.

Na tarde desta quarta-feira (25), 33 policiais militares do CPI – Comando de Policiamento do Interior de Sorocaba (SP), compareceram ao Hemocentro de Botucatu (SP) para doar sangue às vítimas do grave acidente ocorrido na rodovia SP 249, altura do município de Taguaí (SP).

As ações de apoio continuam, e caso você possa ajudar procure o Hemocentro de Botucatu que registrou um recorde de doações nesta quarta-feira (25), após um apelo por conta da tragédia que matou 41 pessoas em Taguaí (SP). Foram 160 doadores de sangue em poucas horas, 33% a mais do que a média diária. A capacidade é de 120 coletas por dia. O local estava com os estoques em níveis críticos, assim como os demais bancos de sangue do Estado.

“Com a ajuda dos cidadãos, o abastecimento em Botucatu aumentou em poucas horas. Agradecemos a todos os que estão doando, se solidarizando e nos ajudando a salvar vidas”, comentou o Secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn.

clique na imagem e saiba mais

Sobre o acidente

Um acidente entre um ônibus e um caminhão deixou 41 mortos na manhã desta quarta-feira (25) em Taguaí, na região de Avaré (SP), segundo a Polícia Militar de São Paulo. A colisão ocorreu no km 172 da Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho.

De acordo com o tenente Alexandre Guedes, porta-voz da PM, foi o maior acidente do ano nas rodovias do estado de São Paulo. Até a última atualização desta reportagem, a causa do acidente estava em investigação. A suspeita da polícia é que uma ultrapassagem teria provocado a colisão.

O porta-voz da PM disse que o local da colisão, que ocorreu por volta das 7h desta quarta, é de difícil acesso. O último balanço, divulgado apontou que havia dez feridos, que foram atendidos em três hospitais da região: de Taguaí, Fartura e Taquarituba. Ainda conforme a polícia, algumas pessoas ficaram presas às ferragens. Os corpos dos mortos foram levados ao Instituto Médico Legal (IML) de Avaré.

Após o acidente, o caminhão bitrem, que levava carga de esterco, invadiu uma propriedade rural. O motorista do veículo, Geison Gonçalves Machado, de 22 anos, chegou a ser levado ao pronto-socorro de Fartura, mas morreu na unidade. Segundo a companheira de Machado, ele não tinha habilitação para dirigir caminhões.

Uma lista recebida pelas equipes de resgate aponta que 52 trabalhadores estariam no ônibus, além do motorista. A polícia passou a trabalhar na identificação das vítimas. Segundo os bombeiros, os funcionários eram levados para a confecção Stattus Jeans, em Taguaí.

“A informação inicial [é que seriam] funcionários de uma empresa, ao menos 53. Não temos dados precisos, é uma região de difícil acesso. Pessoas socorridas [e levadas] para hospitais da região e outras estão recebendo socorro, presas nas ferragens”, informou o tenente Guedes.

Equipes de resgate da Polícia Rodoviária, bombeiros e do helicóptero Águia, da PM, foram ao local do acidente. Bombeiros de Sorocaba, a mais de 250 quilômetros de distância, foram levados pelo Águia para ajudar no socorro às vítimas.

Socorristas e profissionais da saúde da região também foram deslocados para ajudar na operação de resgate. As prefeituras de Taguaí e Itaí decretaram luto oficial por três dias.