Policiais resgatam refém e trocam tiros com serial killer

Gravação mostra casal e adolescente de 16 anos com os policiais. Durante tiroteio, um PM foi baleado no rosto e levado a hospital. Criminoso foge de força-tarefa com 200 agentes há oito dias.

Um vídeo mostra o resgate de um casal e de uma adolescente de 16 anos que foram feitos reféns por Lázaro Barbosa, de 32 anos, em Cocalzinho de Goiás, no Entorno do Distrito Federal (veja abaixo).

Na gravação, a família já com os policiais dentro de um rio. Em seguida, vários tiros são disparados e os agentes começam a correr para retirar os moradores do local. “As vítimas estão bem, três vítimas. [Tiros são disparados]. Se abriga, se abriga. Sai do rio. Polícia, polícia. Tem que tirar a família daqui. Vamos dar apoio para tirar as vítimas”, gritam os policiais.

Após a chegada dos policiais, houve troca de tiros e Lázaro conseguiu fugir novamente. Uma força-tarde com policiais do DF e de Goiás busca o criminoso há oito dias. A família de Cocalzinho foi feita refém na tarde de terça-feira (16) depois de ter a casa invadida pelo criminoso, que é suspeito de matar uma família em Ceilândia, no Distrito Federal no dia 9 de junho.

A adolescente conseguiu se esconder no quarto e enviar uma mensagem à polícia, o que fez com que fossem resgatados sem ferimentos. “Socorro, Lázaro está aqui em casa”, diz o texto enviado pouco antes de ser levada para o mato.

Segundo o delegado Raphael Barboza, uma equipe de policiais dormiu na residência na noite anterior ao sequestro. A intenção era justamente limitar a área de atuação e fuga do assassino.

No entanto, a forma como Lázaro invadiu a propriedade, de acordo com o investigador, mostrou que ele acampou na mata para vigiar a casa e esperou a polícia deixar o local para agir novamente. “A menina estava no quarto sozinha e mandou mensagem pedindo socorro, aí voltou todo mundo. Bem na hora que chegamos, ele levou os reféns como forma de se proteger”, detalhou o delegado.

A fuga

Lázaro Barbosa, 32 anos, está fugindo da força-tarefa de mais de 200 policiais pela região goiana que fica no Entorno do Distrito Federal. A polícia usa cães, drones e helicópteros na captura ao indivíduo. Trinta e quatro propriedades rurais em Goiás estão ocupadas pelas forças de segurança para evitar ação do homem.

Os homicídios contra a família em Ceilândia (DF) foram cometidos na quarta-feira (9). Ele assaltou a fazenda e matar a tiros e a facadas os integrantes da família: Cláudio Vidal, de 48 anos – pai e empresário; Gustavo Vidal, de 21 anos – filho do casal; Carlos Eduardo Vidal, de 15 anos – filho do casal; Cleonice Marques de Andrade, de 43 anos – a mulher do empresário foi sequestrada e morta. O corpo foi achado no sábado (12), em uma mata próxima à casa da família.

Durante a fuga, ele invadiu chácaras, atirou em três pessoas, sendo que uma está em estado grave, furtou um carro e o abandonou na BR-070. Os policiais de Goiás e do Distrito Federal (DF) procuram o assassino dentro de rios e em matas. “Ele foi criado nessa região. Conhece cada detalhe. Além disso, ele é um caçador. Então, ele se esconde, dorme em cima das árvores. É um cara que tem uma expertise. Não é um bandido comum”, disse o porta-voz da polícia do DF, Michello Bueno.

Imagens de uma câmera de vigilância, divulgadas na terça, mostraram o criminoso se escondendo da polícia em um galpão de uma chácara em Cocalzinho de Goiás. Testemunhas relataram que ele dormiu no local e não ameaçou ninguém.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT