Poupança perde para a inflação em 2020 e tem pior rentabilidade em 18 anos

Descontado o IPCA, investimento acumulou perda de 2,30% no ano passado. Pelas regras atuais, caderneta de poupança tem um rendimento correspondente a 70% da taxa Selic.

Com a inflação oficial do país fechada em 4,52% em 2020, a caderneta de poupança encerrou o ano sem ganho real, com um retorno negativo de 2,30%, descontando o IPCA do período, de acordo com levantamento da provedora de informações financeiras Economatica. Trata-se da pior rentabilidade desde 2002, quando o retorno anual foi de -2,90%.

Foi também o segundo ano seguido em que o rendimento do investimento perdeu para a inflação. Em 2019, a poupança teve uma perda real de 0,05%, descontado o IPCA. Antes, a última vez que isso havia acontecido fora em 2015 (-2,28%).

O que explica a perda de rentabilidade

A perda de rentabilidade está diretamente relacionada ao novo patamar de juros do país. Com a taxa básica de juros, a Selic, na sua mínima histórica, de 2% ao ano, tanto a poupança como outros investimentos de renda fixa tiveram os rendimentos achatados em 2020.

clique na imagem e saiba mais

Pelas regras atuais, a poupança tem um rendimento correspondente a 70% da taxa Selic. Ou seja, passou a render 1,4% ao ano ou 0,12% ao mês. Antes disso, a última vez que isso havia acontecido fora em 2015.

Vale lembrar, porém, que depósitos feitos na poupança até maio de 2012 continuam rendendo 6,17% ao ano, mais que o triplo da Selic. É a chamada “velha poupança”, que segue como uma boa opção de investimento.

Para 2021, o mercado financeiro subiu para 3,34% a previsão de inflação, segundo a última pesquia Focus do Banco Central. Os analistas do mercado passaram a projetar também uma Selic em 3,25% no final de 2021 e em 4,75% em 2022.

Comparativo de investimentos em 2020

O levantamento da Economatica mostra que o CDI e o Ibovespa também tiveram rentabilidade negativa em 2020, descontando a inflação medida pelo IPCA. O melhor desempenho foi do ouro, seguido pelo euro. Veja o comparativo: Ouro: 49,19%; Euro: 34,69%; Dólar: 23,36%; Ibovespa: -1,53%; CDI: -1,68%; Poupança: -2,30%.