Preço do cimento durante a pandemia

Procon-SP vai fiscalizar se fábricas estão provocando aumento especulativo.

Na semana passada representantes do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil, Câmara Municipal, Secovi-SP (Sindicato da Habitação) e Sinduscon-SP (Sindicato da Construção Civil do Estado de São Paulo) estiveram na Fundação Procon-SP para apresentar denúncia sobre aumento anormal no preço do cimento em meio ao período de pandemia.

Segundo os representantes, as fábricas que produzem cimento estariam desligando alguns fornos para provocar aumento especulativo e diminuição do produto no mercado da construção civil.

clique na imagem e saiba mais

Durante a reunião, apresentaram ainda um levantamento efetuado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção onde o resultado aponta que 95% das construtoras tiveram aumento no preço do cimento. De acordo com a pesquisa, para 59% delas o aumento foi de até 10% e, para 36%, acima de 10%. Foram ouvidas empresas em 25 estados das cinco regiões do Brasil.

Para o diretor executivo da fundação, Fernando Capez, essa conduta pode gerar desemprego e aumento do preço do imóvel para quem vai comprar. “O Procon-SP vai fiscalizar e vai ao CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) e ao Ministério Público para apurar essa grande denúncia”, afirma.