Previsão é o preço da gasolina cair R$ 2 e o do diesel, R$ 1, afirma Bolsonaro

Presidente Jair Bolsonaro participa da cerimônia da semana nacional das comunicações, ao lado do ministro Fábio Faria, em seguida foi caminhando ao Salão Negro do Congresso Nacional onde visitou estandes de empresas que desenvolvem a tecnologia 5G no mundo. Sérgio Lima/Poder360 05.05.2021
PUBLICIDADE

Prognóstico foi dado pelo presidente nesta segunda-feira (13) diante das medidas que visam reduzir os valores dos combustíveis.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta segunda-feira (13), que a eventual aprovação das medidas apresentadas para redução do preço dos combustíveis no país pode diminuir em R$ 2 o valor do litro da gasolina e em R$ 1 o do diesel.

“A previsão é cair por volta de R$ 2 o litro de gasolina e cair por volta de R$ 1 o litro do diesel. É isso que está acontecendo”, disse o presidente, em entrevista à CBN Recife, acrescentando que os preços dos combustíveis estão em alta por causa da guerra entre Rússia e Ucrânia.

No início deste mês, o governo informou que vai destinar R$ 29,5 bilhões dos cofres públicos para compensar os estados que decidirem zerar as alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) nas operações que envolvam diesel, gás natural e gás de cozinha.

Há também o projeto de lei complementar, que pode ser votado ainda nesta segunda-feira (13) pelo Senado Federal, que fixa um teto para a cobrança de ICMS sobre combustíveis, energia elétrica, comunicações, gás natural e transporte coletivo.

A matéria define que combustíveis, energia elétrica, comunicações, gás natural e transporte coletivo são bens essenciais e por isso a alíquota do ICMS cobrada nas operações que envolvem esses itens não pode ser superior à que incide sobre as mercadorias em geral, que varia de 17% a 18%.

Apesar de o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), ter admitido que a matéria não tem consenso, Bolsonaro disse acreditar que o texto será aprovado pelos senadores. “A gente acha que vai ser aprovado. E, com isso, vai diminuir bastante o ICMS da gasolina. Logicamente que vamos sentir na ponta da linha.”

PUBLICIDADE

Os projetos têm relatoria do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), ex-líder do governo na Casa. O parlamentar deixou o cargo em dezembro do ano passado após ser derrotado na escolha de ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) para Antonio Anastasia. A entrega do posto foi um reflexo do placar da votação, em que o congressista pernambucano recebeu apenas sete dos 78 votos.

Na entrevista, Bolsonaro criticou o ex-líder do governo no Senado, disse que o senador não credita as ações realizadas pelo governo em Pernambuco, mas reconheceu que a aprovação do projeto depende do congressista.

“Ele teve tudo da nossa parte e hoje em dia não fala no nosso nome em Pernambuco”, afirmou Bolsonaro, que completou que o parlamentar faz campanha eleitoral para outro candidato. “Não sou rancoroso, ele tem que levar recurso para o estado dele. Só lamento que poderia o grupo que o apoia falar que, em grande parte ou quase todo o recurso que foi para o estado, foi do nosso governo”, acrescentou.

A estimativa dada por Bolsonaro é similar à do relator. Bezerra havia dito, na última quarta-feira (8), que as propostas que mudam a forma de cobrança de impostos federais e estaduais sobre combustíveis podem contribuir para que o preço do diesel e da gasolina nas bombas dos postos caiam, respectivamente, R$ 0,76 e R$ 1,65.

“Nós estamos fazendo tudo isso para que a gente possa aliviar. Não estamos aqui tabelando preços. Evidente que tem a guerra na Ucrânia, que a Rússia é responsável por 25% da produção de diesel. Evidente que os preços estão tensionados e pode haver elevação de preço. Mas, mesmo se houver, isso vai ajudar a não subir muito mais do que subiria”, comentou Bolsonaro.

PUBLICIDADE
CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP