Problemas de coluna podem ser usados para conseguir a aposentadoria por invalidez do INSS?

Trabalhadores podem entrar com o pedido de adesão ao benefício, porém processo pode ser mais complicado; entenda.

Trabalhadores que passam longos períodos utilizando a própria força do corpo para a realização de atividades laborais podem desenvolver sérios agravantes na saúde com o passar dos anos, um deles é o problema de coluna. Trabalhadores rurais e os empregados domésticos, por exemplo, estão mais suscetíveis a essa condição.

Neste caso, muitos contribuintes recorrem à aposentadoria por invalidez do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) como forma de amparo financeiro em decorrência da doença, capaz de impossibilitar o retorno ao trabalho. Entretanto, pode ser bastante complicado usar um problema de coluna como argumento para a adesão ao benefício previdenciário.

Isso porque o INSS dispõe de uma lista de doenças admitidas como incapacitantes e que dão o direito à aposentadoria por invalidez. Algumas delas são: nefropatias graves, ativa, cegueira, neoplasia maligna, hanseníase, cardiopatia, AIDS, hepatopatia grave, paralisia irreversível, hanseníase, dentre outras.

Aposentadoria por invalidez

Quando levado ao pé da letra, o objetivo da aposentadoria por invalidez é socorrer financeiramente o contribuinte que teve sua capacidade laboral prejudicada de forma permanente. No entanto, mesmo após esta consideração, pessoas com problemas de coluna incapacitante podem encontrar dificuldades em ter o pedido de aposentadoria aprovado.

Mesmo com os exames de coluna demonstrando a gravidade das lesões na região afetada, ainda há uma certa resistência da autarquia em aprovar pedidos deste tipo. Sendo assim, cabe ao trabalhador apresentar o máximo de comprovações possíveis sobre sua situação. Caso contrário apenas o auxílio de incapacidade temporária, vulto auxílio-doença, é oferecido no lugar.

Laudos médicos que apontam a severidade da lesão, além de um depoimento minucioso do caso, podem ser de grande ajuda durante o processo. Informar se houve o comprometimento de nervos, ligamentos e tendões, por exemplo, também devem ser relatados no momento do pedido.

CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP
ÁGIL DPVAT