Procura por exames de Covid-19 tem aumento de 30% na última semana na rede privada

PUBLICIDADE

Segundo a Associação Médica de Medicina Diagnóstica (Abramed), a taxa de positividades dos casos saltou de 6%, na semana do Natal, para 15% na semana do Réveillon.

A procura por testes RT-PCR para Covid-19 aumentou em 30% nos laboratórios particulares de todo o país somente na última semana. Os dados são da Associação Médica de Medicina Diagnóstica (Abramed).

De acordo com a associação, a taxa de positividades dos casos saltou de 6%, na semana do Natal, para 15% na semana do Réveillon. A Abramed responde por mais de 60% de todos os exames realizados pela saúde suplementar no Brasil.

O aumento no número de casos de Covid-19 está relacionado com a disseminação da variante Ômicron, que de acordo com o professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), Jorge Kalil, irá se tonar a variante predominante no Brasil.

A disparada de casos também fez crescer o número de atendimentos online, via telemedicina, especialmente nas últimas duas semanas. Uma das maiores empresas do setor, por exemplo, viu o índice de pronto atendimento dobrar em apenas 3 dias, passando de 2 mil por dia para 4 mil atendimentos nos primeiros dias do ano.

Para atender a demanda, a empresa também precisou aumentar o quadro de profissionais.

PUBLICIDADE

“Tivemos que dobrar o nosso quadro de profissionais de saúde em apenas 4 dias. Acreditamos que a tendencia é de aumento no número de atendimentos, não só por conta do momento que vivemos, mas também porque os usuários estão mais familiarizados com a telemedicina” – explica Jorge Ferro, CEO do grupo Iron.

Dados da Rede de Vigilância Genômica da Fundação Oswaldo Cruz (Genomahcov / Fiocruz) mostram que a variante Ômicron da Covid-19 foi encontrada em 17,6% das amostras sequenciadas no Brasil, durante o mês passado. Das 1.119 amostras analisadas, 197 eram da nova variante.

Em novembro de 2021, a Ômicron correspondia a 0,1% das amostras sequenciadas.

Na cidade do Rio de Janeiro, 179 casos suspeitos da nova variante estão sob análise. Pelo menos três já foram confirmados. O mais recente é o de uma turista de 39 anos, residente no México, que chegou na capital, no dia 13 de dezembro.

A variante foi identificada pelo monitoramento epidemiológico da secretaria de vigilância epidemiológica. Ainda de acordo com a secretaria, a paciente havia sido vacinada com a dose única da Janssen, em julho, no país que reside, e não tomou a dose de reforço.

O secretário Municipal de Saúde, Daniel Soranz, afirmou que está acompanhando os casos, e que essa paciente teve sintomas leves e já está curada da doença.

Com a colaboração de Elis Barreto

PUBLICIDADE
CLIQUE NA IMAGEM E FALE DIRETO PELO WHATSAPP